God of War - Livro 1

Por Ana Lucia Santana
God of War nasceu como um videogame eletrizante inspirado no universo da Mitologia Grega. A trilogia essencial da saga foi criada pela Sony Computer Entertainment de Santa Monica. O protagonista das aventuras, o mortal espartano Kratos, que posteriormente assume sua semidivindade, já foi impresso em inúmeros artefatos, entre eles peças de vestuário, produtos artísticos, designs em tiras de tecidos, um livro, brinquedos e capas de celulares.

Sua versão literária traduz fielmente este que se tornou um dos mais célebres games da história deste gênero. Ela reproduz minuciosamente a trajetória do grego Kratos, um combatente a serviço das divindades do Olimpo. Depois de ser usado e descartado por Ares, o deus da Guerra, o espartano se revolta e busca retaliação contra o mesmo.

Um criminoso, um ser monstruoso; no início do livro Kratos reflete sobre sua condição. Possivelmente foi ambos, ou nenhum. Uma coisa é certa: ele sabe quem são as verdadeiras criaturas perversas e cruéis, e está pronto para se vingar delas. Um dia foi conhecido e temido por todos os que viviam. Era chamado de Fantasma de Esparta, Punho de Ares ou Campeão de Atena.

As mãos e a região do braço que segue até o cotovelo já foram muito poderosas; representam o trabalho doado às divindades. Neles se prendiam as correntes das Lâminas do Caos; elas eram parte de seu ser. Hoje não há mais nada – armas, amigos, adversários, pois não representa ameaça alguma a ninguém, e também não há familiares em lugar algum.

O último recurso dos solitários geralmente são os deuses; mas não no seu caso, pois foi enganado por eles. Os seres divinos zombaram de sua existência, arrebataram sua vida, modelaram-na e converteram o protagonista em uma criatura que ele não mais suportava ser. Para concluir, simplesmente o abandonaram.

Kratos não consegue mais conviver com o que ficou para trás. As lembranças representam tortura e perturbação. Só há um caminho, o rio que corre no Hades, o mundo dos mortos. Nos mitos gregos, quem sorver ou tocar a água do Lete mergulhará no mais profundo esquecimento.

O que mais o guerreiro poderia desejar? E é na direção destas águas que, sem esperança, o guerreiro mergulha, inebriado do desejo de esquecer tudo que foi. Poderá Atena, a deusa virginal, salvar seu mortal preferido?

O semideus já protagonizou uma graphic novel, publicada pelo selo Wildstorm e lançada em solo brasileiro pela editora Panini. Cabe à editora Leya, hoje, abrir espaço para mais uma versão desta história, agora em um romance épico.

Robert Edward Vardeman, também conhecido como Vardebob, nasceu em 1947. Ele é antes de tudo um fã do gênero ficção científica e autor no mesmo estilo. Iniciou sua trajetória literária escrevendo para fanzines de ficção científica e em 1972 conquistou o Hugo Award como Best Fan Writer, algo como melhor escritor de fanzines.

Matthew Woodring Stover nasceu em 1962. É romancista nos gêneros fantástico e de ficção científica. Talvez seja mais famoso por suas novelas sobre a série Guerra nas Estrelas, incluindo a dramatização do Episódio III desta saga: A Vingança dos Sith. Ele escreveu também várias obras fantásticas, entre elas Iron Dawn e Jericho Moon.

Fontes:
http://www.sobrelivros.com.br/info-god-of-war-robert-e-abrams-e-matthew-stover/
http://en.wikipedia.org/wiki/Robert_E._Vardeman
http://suplementocultural.blogspot.com.br/2012/11/god-of-war-historia-oficial-que-deu.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Matthew_Stover
http://pt.wikipedia.org/wiki/God_of_War_(s%C3%A9rie)