O Mundo de Sofia

Por Ana Lucia Santana
Esta obra se transformou rapidamente em um clássico da história da filosofia, talvez justamente por mesclar ficção e dados históricos, tornando acessíveis ao leitor comum os meandros mais complexos da reflexão filosófica. O autor de O Mundo de Sofia, o norueguês Jostein Gaarder, depois de lecionar esta disciplina no nível secundário, ao longo de diversos anos, logrou compor um sucesso internacional que já sobrevive a quase duas décadas.

Neste romance filosófico o leitor encontra uma história dentro da outra, que se desenrolam paralelamente e são igualmente protagonizadas por duas garotas que estão prestes a completar 15 anos, Sofia Amundsen e Hilde Moller Knag. Tudo começa quando Sofia passa a receber cartas misteriosas, de um pretenso professor de filosofia, Alberto Knox, que assume a missão de lhe iniciar nos caminhos percorridos pela Filosofia ocidental desde seu nascimento até os dias atuais.

Este contato se dá inicialmente através de cartas e, mais tarde, em encontros inusitados. O mestre Alberto se vale de todos os recursos possíveis para tornar límpidas as lições por ele ministradas, traduzindo de forma singela os pensamentos mais densos e as teorias mais herméticas.

Assim ele percorre desde a pré-filosofia, vivenciada pela Humanidade em seu estágio mítico, até o existencialismo e as diversas correntes filosóficas atuais, passando pela imprescindível filosofia grega, pelos filósofos da era medieval e do Renascimento, pelo surgimento dos racionalistas e dos empiristas, atravessando igualmente o pensamento filosófico alemão – abordando aqui especialmente Kant, os românticos, Hegel e Marx -, chegando à teoria da evolução de Darwin, à Psicanálise de Freud, até aterrissar no mundo contemporâneo.

A história paralela é introduzida em O Mundo de Sofia através dos postais misteriosos que a protagonista recebe, enviados do Líbano por um enigmático Major, Albert Knag, pai de Hilde, para sua filha, através de Sofia. A garota fica aturdida desde o início, sem compreender porque recebe estes cartões no lugar da verdadeira destinatária. Seus questionamentos entrelaçam-se com os conhecimentos que vai adquirindo em seu curso de Filosofia, o qual lhe permite ir, gradualmente, desvendando este mistério.

De uma forma genial, o autor contrapõe às estritas leis naturais da Filosofia, alicerçadas na realidade concreta, a aventura fantástica vivenciada por Sofia e seu professor, quase como se esboçasse uma relação dialética entre imaginação e realidade, Eros e Logos. É fascinante perceber como, pouco a pouco, as dimensões paralelas se entrecruzam e interagem, às vezes de forma bem sutil, outras mais explicitamente.

Gaarder também convida o leitor a vivenciar os cotidianos de Sofia e de Hilde, os quais apresentam entre si mais semelhanças que diferenças. Ao mesmo tempo, a rotina das jovens vai sendo transformada à medida que uma vai tomando conhecimento da existência da outra. A partir deste momento, tudo pode acontecer, tudo se torna possível.

Sobre o Autor

Jostein Gaarder nasceu em 1952, na cidade de Oslo, capital da Noruega. Sua prática literária teve início no ano de 1986, quando passou a escrever livros infanto-juvenis. Mas o sucesso veio mesmo a partir da publicação de O Mundo de Sofia, que já foi traduzido para mais de 50 idiomas. Atualmente pode-se encontrar no Brasil uma versão cinematográfica desta obra em DVD, lançado em 2008.

Fontes:
Jostein Gaarder. O Mundo de Sofia. Romance da História da Filosofia. Cia das Letras, São Paulo, 1995, 555 pp.