Política (Aristóteles)

Política (no original grego: Πολιτικά) é uma obra dedicada ao tema da filosofia política, concebida pelo filósofo grego Aristóteles. Uma tradução sistemática do título original grego dá uma ideia clara do conteúdo da obra: “matérias relacionadas à pólis”.

Oito livros compõem o trabalho. Neles, Aristóteles se ocupa de analisar os assuntos humanos que se desenrolam no espaço da cidade (pólis). A Política era provavelmente um conjunto de lições dadas no Liceu e registradas por seus alunos. Acredita-se que seja fruto das reflexões do filósofo na época em que este foi preceptor de Alexandre da Macedônia. Na verdade, o assunto único e principal da Política é uma só, a ciência da felicidade humana, uma certa maneira de viver adotada pela comunidade, que fosse satisfatória à maioria. A política estaria a serviço de uma maneira de viver que levasse à felicidade humana no aspecto material, capaz de ser preservada.

Em seu conteúdo são abordados temas como a composição da cidade, escravidão, família, riquezas, além de trazer uma crítica às teorias de Platão. A obra analisa também as constituições de outras cidades-estado gregas, descrevendo seus regimes políticos. Aristóteles classificou-as de acordo com vários critérios: de um lado estão as constituições consideradas boas, assim vistas porque visam o bem comum, e do outro lado estão as cartas consideradas desvirtuadas, assim denominadas por atenderem ao interesse e bem-estar de apenas uma parte da cidade. Feita esta análise, Aristóteles verifica o outro lado dessas constituições, ou seja, a quantidade de indivíduos que tomam parte nas decisões do governo, se são um, alguns, ou muitos. A partir dessas classificações básicas, os capítulos de Política irão desenvolver os demais predicados considerados fundamentais componentes de uma ideal constituição.

Apesar de ser uma das mais importantes obras da filosofia ocidental, o texto atual parece ter sofrido algumas modificações e perdas. Há suspeitas de que se trate na verdade, de dois tratados diferentes que foram misturados, devido à variação de estilo evidente entre os primeiros três livros, os três seguintes e os dois últimos (que retomam o estilo dos três primeiros). Não há dúvidas, porém, quanto à autenticidade de sua autoria. Nos livros I, II, e III temos uma introdução ao estudo do tema. Neles são abordados a teoria do Estado e o critério de classificação das muitas espécies de constituição. Nos livros IV, V e VI os temas são a prática política, a natureza das várias constituições e os princípios que as regulam. Nos livros VII e VIII Aristóteles idealiza qual o modo de vida mais desejável para as cidades e os indivíduos, finalizando com os objetivos da educação e a importância das matérias que são ensinadas.

Arquivado em: Filosofia, Livros