Sentimento do Mundo

Por Felipe Araújo
Obra de leitura obrigatória na FUVEST de 2012, o livro de Drummond de Andrade, Sentimento do Mundo, é uma obra poética que foi publicada em 1940. Esse é um dos trabalhos de Drummond mais aclamado pelos críticos e foi escrito após o livro de 1930, Alguma Poesia e Brejo das Almas, publicado em 1934. Em comparação a estas obras, encontra-se uma visão mais madura do poeta nas poesias que compõe o livro, um olhar que contempla as fragilidades da alma humana e das angústias que as perseguem durante a vida.

Nos anos 40 o mundo passava pelo intervalo entre o primeiro e o segundo conflito mundial e ideologias nazistas dominavam países, incluindo o Brasil. Isso influenciou os poemas de Sentimento do Mundo, revelando a preocupação de Drummond com as transformações que o mundo viria a sofrer, tanto com a campanha nazista de Adolf Hitler, como com a ditadura que Getúlio Vargas aplicava em terras brasileiras.

Dentro deste panorama, o poeta aborda temáticas políticas e sociais, assuntos considerados novos em sua poesia naquela época, que se consolidariam na obra de 1945, A Rosa do Povo. Entre estas leituras que Drummond faz sobre o contexto social da época pré Segunda Guerra, aparece em sua poesia uma acidez que o revela como um poeta irrequieto. Apesar disso, a delicadeza e a sua visão lúcida e subjetiva da realidade ainda continuam a fazer parte de seu estilo.

Encontra-se nas linhas de Sentimento do Mundo um traço corrosivo e preciso. Uma característica da poesia de Carlos Drummond que, nesta obra, encontra  a apreensão quanto aos caminhos escolhidos pelos seres humanos. Apesar das preocupações, a obra apresenta o poeta individualista, que aparecia em Alguma Poesia, tornando-se mais consciente do mundo, mas sem esquecer a emoção:

Outrora escutei os anjos,

as sonatas, os poemas, as confissões patéticas.

Nunca escutei voz de gente.

Em verdade sou muito pobre. ("Mundo grande", Sentimento do mundo)

Em vários trechos dos poemas de Sentimento do Mundo encontramos o “nós”. Este “nós” seria a esperança sublimada em um futuro, mas que nunca aparece no presente. Esta esperança aparece em partes como o sorriso de um operário, ("Vejo-o que se volta e me dirige um sorriso úmido"), a alvorada, ("Aurora, / entretanto eu te diviso, ainda tímida, / inexperiente das luzes que vais acender"), entre outras.

Seguem os títulos dos poemas:

  1. Sentimento do mundo
  2. Confidência do itabirano
  3. Poema da necessidade
  4. Canção da Moça-Fantasma de Belo Horizonte
  5. Tristeza do Império
  6. O operário no mar
  7. Menino chorando na noite
  8. Morro da Babilônia
  9. Congresso Internacional do Medo
  10. Os mortos de sobrecasaca
  11. Brinde no juízo final
  12. Privilégio do mar
  13. Inocentes do Leblon
  14. Canção de berço
  15. Indecisão do Méier
  16. Bolero de Ravel
  17. La possession du monde
  18. Ode no cinquentenário do poeta brasileiro
  19. Os ombros suportam o mundo
  20. Mãos dadas
  21. Dentaduras duplas
  22. Revelação do subúrbio
  23. A noite dissolve os homens
  24. Madrigal lúgubre
  25. Lembrança do mundo antigo
  26. Elegia 1938
  27. Mundo grande
  28. Noturno à janela do apartamento
Fontes:
DRUMMOND, Carlos - Sentimento do Mundo, Rio de Janeiro, Record, 2000. 1ª Edição 1940.