Metodologia de Ensino: História da Matemática

Por Prof. Ailton Feitosa
Nos últimos tempos, percebemos no Brasil uma série de profundas e rápidas transformações ocorrendo em todos os setores, tanto de ordem política como econômica e social. De modo que, no meio educacional, diferentes exigências estão sendo feitas na perspectiva de acompanhar o dinamismo e a rápida evolução tecnológica que atinge o mundo, e que satisfaça às demandas profissionais e pessoais, sem esquecer a qualidade do processo de ensino e aprendizagem.

Nesse contexto a História da Matemática tem a função de contextualizar os conteúdos despertando no aluno a consciência histórica a partir do conhecimento do passado, servindo como elemento motivador no processo de ensino e aprendizagem Matemática, no entanto, o professor precisa ter cuidado para não usá-la apenas, como um conteúdo decorativo dentro do currículo.

D’Ambrosio (1996), destaca que a História da Matemática serve para professores e alunos, devido à relação que estabelece com a cultura dos povos, demonstrar que a Matemática pode também ser vista como parte dos costumes, valores e crenças dentro do processo evolutivo de um povo, como, aconteceu com os Babilônios, Egípcios e Hindus que desenvolveram os conceitos Matemáticos a partir das necessidades próprias de seus contextos sócio históricos.

As primeiras reflexões e/ou tentativas de uso didático da História da Matemática em sala de aula do ensino fundamental começou na década de 80, durante as discussões sobre mudanças no currículo de Matemática, fruto do movimento que intencionava abandonar a Matemática moderna. No entanto Baroni e Nobre (1999), apontam que História da Matemática como suporte didático para a contextualização de conteúdos ainda carece de um desenvolvimento metodológico para que sejam traçados procedimentos mais claros quanto à atuação do professor, na abordagem dos conteúdos curriculares.

A História da Matemática ameniza esse status de disciplina exata que a Matemática possui, pois, mostra que os conteúdos ainda estão em evolução e pode vir acrescidos de novos elementos, o que, pode contribuir para a formação de alunos críticos em relação à construção do conhecimento humano, conscientes das condicionantes sócio históricas para a evolução dos conteúdos Pereira (2002).

Portanto, a História da Matemática pode ser desenvolvida como estratégia de abordagem e motivação para o ensino dos conteúdos matemáticos. D’Ambrósio (1996) afirma que a História da Matemática é fundamental para o estabelecimento da Matemática como um elemento cultural, inverso ao modo mecanicista de considerá-la como algo exato, acabado e alheio às vicissitudes humanas.

REFERÊNCIAS:

BARONI, Rosa L.S. E NOBRE, Sergio. A pesquisa em história da Matemática e suas relações com a Educação Matemática, in BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (org.) Pesquisa em Educação Matemática Concepções e Perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, p. 129-136,1999.

D'AMBROSIO, Ubiratan. A História da Matemática: Questões Historiográficas e Políticas e Reflexivas na Educação Matemática, in Bicudo, Maris Aparecida Viggiani (org.) Pesquisa em Educação Matemática: Concepções e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, p. 97, 1999.

PEREIRA, Luiz Henrique Ferraz. Teorema de Pitágoras – lembranças e desencontros na Matemática. Passo Fundo: UFP, 2002. Revista Construir Notícia. Nº41-ano 07-julho/agosto 2008. p.03.2008.