Bichoterapia

A bichoterapia tem como objetivo integrar seres humanos e animais em contextos terapêuticos que abrangem visitas, entretenimentos e momentos de lazer, e igualmente durante a realização de exames e a manutenção dos pacientes em aparelhos. Esta idéia se consolida no projeto conhecido como Atividade Assistida por Animais – AAA. Esta terapia é também chamada de ‘pet terapia’ e ‘zooterapia’.

A Terapia Assistida por Animais – TAA – é uma entidade similar que envolve diversos especialistas da área da saúde, assessorados por animais no tratamento de enfermos ou na preservação do equilíbrio psíquico de idosos. Ela é normalmente utilizada em processos fonoaudiológicos, fisioterápicos e psicoterápicos, os quais procuram estimular reações físicas e emocionais nos pacientes.

É cientificamente comprovado que os animais de estimação despertam no Homem atitudes orgânicas e psíquicas indiscutivelmente afirmativas. Estudos comprovam que os pacientes reagem mais rapidamente à terapêutica clínica quando recebem a visita de algum animal. A instituição Delta Society, organismo internacional sem fins lucrativos, aposta nesta evidência, fomentando o poder dos animais de reabilitar enfermos.

Conforme dados desta organização, uma visita do bicho ao doente, durante apenas 12 minutos, pode restituir a saúde a pacientes cardíacos ou com problemas pulmonares, além de reduzir a pressão arterial, estancar a circulação de hormônios que podem arruinar o coração, e amenizar a ansiedade de internos com disfunções neste órgão. Outras pesquisas, desta vez empreendidas pela University of New England, da Austrália, revelam que os proprietários de animais são menos suscetíveis a desequilíbrios psíquicos e a episódios de hipertensão.

Especialistas defendem que os bichos auxiliam o Homem no reequilíbrio de seu organismo por oferecerem aos seus donos ou companheiros amor incondicional, doado de livre e espontânea vontade. Esta atitude liberta no organismo humano uma maior dose de dopamina e de serotonina, as quais tranqüilizam e transmitem uma impressão de felicidade. Isto provoca um aprimoramento do sistema imunológico, as enfermidades desaparecem e as pessoas se sentem mais felizes.

É importante para uma pessoa que está triste ou deprimida ter alguém para tomar conta, dar banho, comida, ter uma companhia para seus passeios, enfim, devolver a sua existência a finalidade perdida. Este ser, na ausência de um ente querido que não pode mais retornar ao convívio humano, pode muito bem ser um animal.

É neste sentido que algumas organizações promovem, por exemplo, o contato dos bichinhos com idosos, com o auxílio de psicólogos, veterinários e fisioterapeutas. Advêm deste encontro vantagens como o aperfeiçoamento do tônus muscular, mais força motriz, desenvolvimento da sensibilidade, maior capacidade de socialização, de transporte e uma boa recuperação da memória. Segundo os especialistas neste campo, os cachorros imprimem geralmente maior velocidade a este processo de cura.

Fontes
http://estilonatural.uol.com.br/edicoes/33/artigo20120-2.asp
http://www.vibeflog.com/bichosolidario/p/15554055

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.