Broncoscopia

Por Débora Carvalho Meldau
A broncoscopia é um exame visual direto da cavidade dos órgãos de fonação (laringe) e das vias aéreas, feito por meio de um tubo de observação de fibra óptica, denominado broncoscópio. Este, por sua vez, é dotado de uma luz em sua extremidade que possibilita ao médico observar dentro dos pulmões, as grandes vias aéreas (brônquios).

A bronscoscopia pode ser de dois tipos:

  • Rígida: procedimento invasivo, realizada utilizando-se cilindros de aço de diâmetros variáveis, de acordo com o tamanho dos tubos orotraqueais. Apresentam orifícios laterais em sem terço distal, abertura distal em bisel e iluminação direta por luz fria. Apresenta entrada lateral, na extremidade proximal, por onde é permitida a ventilação e a administração de gases.
  • Flexível: procedimento invasivo onde é possível visualizar-se a cavidade nasal, faringe, laringe, cordas vocais, traquéia e árvore brônquica. É muito seguro, com mínima mortalidade e reduzido índice de complicações. Todavia, objetivando reduzir ainda mais os riscos, o broncoscopista deve estar devidamente habilitado e capaz de avaliar os riscos e benefícios do procedimento a cada paciente. O bronscoscópio utilizando trata-se de um aparelho flexível e sólido, que não permite qualquer ventilação através dele. É introduzido pelo nariz, boca, tubo ou traqueostomia, sendo a via nasal a mais indicada na maior parte dos casos.

Este exame pode ser útil para o diagnóstico e o tratamento de determinadas afecções. Por meio da utilização de um broncoscópio, pode-se remover secreções, sangue, pus e corpos estranhos, bem como introduzir medicamentos em regiões específicas do pulmão e investigar a causa de uma hemorragia. Caso haja a suspeita de um cancro pulmonar, pode examinar as vias aéreas e colher amostras de qualquer zona suspeita.

Este procedimento também é muito útil na colheita de amostras de microrganismos que estejam causando uma pneumonia e que são difíceis de coletar e identificar por outros meios. É especialmente útil na obtenção de amostras de pacientes que sofre de SIDA ou com outras deficiências do sistema imunitário. Contribui também para avaliação do estado das vias aéreas em casos de pessoas com queimaduras ou aspiração de fumo.

Durante as 4 horas que precedem o exame, o paciente deve ficar sem beber e comer. Normalmente, é administrado um sedativo para acalmar e atropina para diminuir os riscos de espasmos na laringe e a redução da freqüência cardíaca. A garganta é anestesiada, bem como o canal nasal, por meio de vaporizador anestésico e, por conseguinte, introduz-se o broncoscópio.

Fontes:
http://www.cirurgiatoracica.com.br/Temas_O_que_e_Broncoscopia.htm
http://www.cirurgiatoracica.net/html/broncoscopia.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Broncoscopia
http://www.manualmerck.net/?id=58&cn=708
http://marceloresende.site.med.br/index.asp?PageName=Broncoscopia

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.