Circuncisão

Por Débora Carvalho Meldau
A circuncisão, também conhecida como exérese do prepúcio, peritomia ou postectomia, é uma opção de cirurgia que se resume na remoção do prepúcio (prega cutânea que recobre a glande do pênis). Este procedimento é realizado a mais de 5 mil anos. Segundo dados publicados pelo Ministério da Saúde (OMS), aproximadamente 30% dos homens no mundo todo são circuncisados, sendo que a maior parte deles, por motivos de religião, uma vez que cerca de 68% desses são muçulmanos.

Esta possivelmente é a cirurgia mais antiga do mundo e talvez a mais realizada. Normalmente, quando não há a presença de alguma alteração no prepúcio ou no pênis, este procedimento é feito por motivos familiares, religiosos e culturais.

Na cultura islâmica e judaica, a circuncisão é realizada em todos os recém-nascidos do sexo masculino, sendo que nos demais povos, a circuncisão é realizada somente quando devidamente indicada. Nesta situação, as indicações podem ser imperativas ou facultativas. Quando o prepúcio encontra-se cobrindo toda a glande, levando a formação de um anel fibroso em sua extremidade que dificulta a retração da pele e exposição da mesma (fimose). Esta, por sua vez, deve ser corrigida por meio da circuncisão.

Processos inflamatórios crônicos, conhecidos como balanopostites, infecções copiosas, desconforto durante o ato sexual são indicações para a realizada da postectomia.

É importante ressaltar que somente a presença de um prepúcio abundante não define uma indicação cirúrgica, uma vez que o prepúcio apresenta como função proteger a glande contra traumatismos, especialmente se tratando de crianças com idade inferior a 12 anos. A idade deve ser sempre superior a essa, exceto em situações específicas.

Normalmente, com exceção de crianças, a cirurgia é feita apenas com anestesia local, com o cirurgião realizando um bloqueio no tecido subcutâneo da base peniana. As técnicas cirúrgicas são diversas; contudo, todos visam a remoção do prepúcio exuberante, de modo que, em seguida à sutura da pele, a glande apresente sua parte próxima coberta e a distal exposta.

A cirurgia dura aproximadamente 30 minutos e, por conseguinte, o paciente está liberado para voltar à rotina, devendo fazer uso apenas de medicação antiinflamatória.

Os apoiadores da circuncisão atestam que esta prática possui um valor profilático, como um procedimento médico. Alguns defendem que esse ato impede o acúmulo de uma secreção genital denominada esmegma, no espaço entre a glande e o prepúcio que a recobre. Caso essa secreção não seja eliminada, a região fica com odor desagradável devido à proliferação de bactérias no local, resultando, muitas vezes, em infecções da glande.

Estudos recentes têm evidenciado que a circuncisão pode auxiliar na prevenção de infecções renais e das vias urinárias. Outros estudos mostram também que homens que não são circuncidados apresentam maiores chances de contraírem doenças sexualmente transmissíveis quando comparados com homens que foram submetidos à circuncisão. Não se sabe ao certo ainda o porquê disso, mas acredita-se que o prepúcio proporciona um ambiente propício que confere ao agente infeccioso um maior tempo de sobrevivência e oportunidade para adentrar o organismo.

Complicações pós-operatórias não são comuns, mas podem ocorrer hematomas, infecções e, mais tardiamente, sensibilidade e dores.

A circuncisão de adultos pode ser altamente dolorosa por diversos fatores. O primeiro são as ereções noturnas, normais em um adulto saudável, que se tornam extremamente dolorosas até a remoção dos pontos da sutura. Outro ponto é que os adultos levam mais tempo para se acostumarem a condições de circuncidado, podendo ser necessária a mudança de hábitos no que diz respeito às vestimentas íntimas.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Circuncis%C3%A3o
http://www.uroped.com.br/tiraduv/circunci.htm
http://www.copacabanarunners.net/circuncisao.html
http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3759&ReturnCatID=1793
http://www.circuncisao.com.br/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.