Comissão de Controle da Infecção Hospitalar

Por Débora Carvalho Meldau
A Comissão de Controle da Infecção Hospitalar (CCIH) nasceu no ano de 1970 com o intuito de se conhecer os índices de infecção hospitalar, visando controlar as infecções hospitalares através de ações objetivam prevenir e reduzir a incidência desse tipo de infecção. É composta por profissionais da saúde que tem como função:

  • Detectar casos de infecção hospitalar, de acordo com critérios de diagnóstico estabelecidos previamente;
  • Ter conhecimento das principais infecções hospitalares observadas no serviço e saber reconhecer as taxas aceitáveis de ocorrência de infecção hospitalar para determinados serviços;
  • Responsável pela elaboração de normas de padronização para que os procedimentos que forem feitos na instituição estejam dentro de um programa asséptico;
  • No que se refere à prevenção e controle das infecções hospitalares, essa comissão deve colaborar no treinamento dos profissionais da saúde;
  • Controlar a prescrição de antibióticos, para evitar o uso descontrolado na instituição;
  • No caso de pacientes hospitalizados, recomendar medidas de isolamentos cabíveis à situação;
  • Auxiliar a administração hospitalar na aquisição correta de materiais e equipamentos e também, para o planejamento da área física das unidades de saúde.

Os profissionais que participam de uma CCIH devem, necessariamente, receber treinamento para atuarem nessa área. Um dos regulamentos do Ministério da Saúde, é que é imprescindível a manutenção de, no mínimo, um médico e uma enfermeira na CCIH de cada hospital. Outros profissionais da saúde também participam da CCHI do hospital, como: microbiologistas, epidemiologistas, farmacêuticos, representantes médicos da área cirúrgica, clínica e obstétrica.

Fontes:
http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/controle/roteiro.htm
http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/ih/if_publico.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.