Desmaio

Graduação em Farmácia (Universidade Braz Cubas, UBC, 2012)

A síncope, popularmente conhecida como desmaio, se caracteriza pela perda repentina e transitória do estado de consciência e da capacidade de permanecer em pé (tônus postural), normalmente seguida de uma recuperação completa.

Foto: Miriam Doerr / Shutterstock.com

Foto: Miriam Doerr / Shutterstock.com

Na grande maioria das vezes se dão por diminuição do fluxo sanguíneo na região cerebral, normalmente quando a pressão arterial diminui muito o oxigênio não chega em quantidade suficiente deixando as células cerebrais sem energia fazendo com que o cérebro "desligue". Outras causas comuns são a diminuição do açúcar circulante no sangue (a hipoglicemia), o jejum prolongado, faltando assim, nutrientes para suprir a demanda metabólica cerebral, estresse, superaquecimento do corpo (hipertermia), febres altas, exaustão, cardiopatias, alguns medicamentos, doenças, ou simplesmente por se levantar rapidamente (hipotensão ortostática), dores fortes, emoções súbitas, desidratação, hiperventilação, uso de drogas como o álcool e permanência prolongada em lugares fechados e quentes.

Geralmente os desmaios são rápidos e são seguidos de uma recuperação satisfatória, e são mais comuns em pessoas portadoras de problemas cardíacos e idosos. O risco maior no desmaio é a possibilidade do indivíduo fraturar ossos ou até sofrer traumatismos cranianos, devemos nos ater a síncopes sem causa aparente pois estas podem representar doenças graves, por isso é imprescindível saber a causa do desmaio, realizando exames e conhecendo o histórico do paciente.

Existem alguns sintomas que predizem a síncope, entre os mais presentes temos a palidez, suor frio, tontura, visão turva, respiração lenta, fraqueza, baixa na pressão arterial e pulsação fraca, o indivíduo também pode se sentir atordoado.

O diagnóstico é feito com base no histórico do paciente, exames sorológicos e neurológicos para a identificação da causa. O interrogatório dos indivíduos que se queixam de desmaios frequentes devem incluir os motivos que levaram ao episódio, os sintomas antes e após o evento como dores no peito, palpitações, náuseas entre outros, a circunstância do ocorrido devendo ser relatado a maneira que a vitima estava ou o que estava fazendo antes de ocorrer a síncope, para que o mesmo tenha o tratamento adequado.

Algumas recomendações são feitas :

Ao notar que um indivíduo está desfalecendo, apoiar antes que esta caia correndo risco de lesões mais sérias, sente-a colocando a cabeça desta entre os joelhos, fazendo a pessoa respirar de forma profunda até que seu mal estar passe.

Ao presenciar estes fatos é fundamental afastar a vítima de locais que possam levar risco, deitá-la de barriga para cima erguendo as pernas, afrouxar as roupas, deixar o ambiente mais arejado possível. Após a vítima retomar a consciência é necessário que esta permaneça sentada por alguns minutos para que não ocorra um novo desmaio, não é indicado dar líquidos ao paciente, fazer com que este inale álcool ou qualquer outra substância, e após o procedimento é indicado levar o indivíduo a um hospital para que sejam realizados exames.

Referências:
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/desmaio
http://drauziovarella.com.br/letras/d/desmaiosincope/
http://www.einstein.br/einstein-saude/vida-saudavel/primeiros-socorros/Paginas/desmaio.aspx
http://www.ccardiograph.com.br/index.php/sinais-e-sintomas/45-sincope-desmaio-e-lipotimia-pre-desmaio

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Medicina, Neurologia, Saúde