Informática Biomédica

Por Felipe Araújo
Termo recentemente difundido nas áreas do conhecimento, a Informática Biomédica ainda causa dúvida na busca de uma definição definitiva. Enquanto alguns a considerem como uma subárea da medicina que abrange conceitos da computação, outros a consideram uma subárea da computação especializada na área da saúde. Apesar disso, com a sedimentação de procedimentos e processos, a Informática Biomédica pode vir a impor especificidades ou características próprias.

As origens da Informática Biomédica, no Brasil, está relacionada com o uso da ciência da computação como suporte da área médica, principalmente em universidades públicas. Em 1972, o departamento de Fisiologia do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto iniciou a aplicação de computadores e calculadoras programáveis na análise de dados fisiológicos, simulações aplicadas ao ensino e pesquisa de banco de dados. Em 1976, o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da USP utilizou minicomputadores Hewlett-Packard na implantação dos primeiros sistemas de monitoração fisiológica digital e de apoio a testes hemodinâmicos do país.

As aplicações da Informática Biomédica englobam sistemas para as áreas de pesquisa e ensino médico, reconhecimento de padrões, predição, planejamento cirúrgico, simulação de processos biológicos como as fases da reprodução celular, entre outros.

Os profissionais da área -os informatas biomédicos- começaram a ter formação específica somente a partir de 2006, quando foi criado o curso de Informática Biomédica no campus de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. As áreas de atuação focadas no curso são: Bioinformática - com soluções a problemas biológicos que envolvam utilização de grandes volumes de dados (como resultado e objeto de pesquisa em genomas), análise estrutural (modelagem molecular) e modelos biológicos; Processamento de Imagens e Sinais - desenvolvendo aplicativos voltados ao apoio à decisão médica, por meio de técnicas que implementem a obtenção, otimização, tratamento e análise de sinais e imagens médicas contendo informações anatômicas ou funcionais; Sistemas de Informação e Gestão de Saúde - desenvolvendo aplicações relacionadas com a organização, o gerenciamento e a representação de dados clínicos (computação clínica), serviços de informação hospitalar, aplicações à epidemiologia e saúde populacional, processo de decisão clínica e fluxo de informações médicas.

Como recente área do conhecimento atrelada a desenvolvimentos científicos e tecnológicos, a Informática Biomédica tem um grande potencial de crescimento ainda pouco explorado.

Fontes:
http://www.informaticamedica.org.br/informaticamedica/n0105/sabbatini.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Inform%C3%A1tica_biom%C3%A9dica
http://www.fmrp.usp.br/cg/novo/index.php?option=com_content&view=article&id=115&Itemid=91

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.