Medicina Fetal

Conceitualmente, a Medicina Fetal é considerada uma especialização da Obstetrícia, reconhecida no Brasil pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), contudo envolve profissionais de diferentes áreas, sobretudo  profissionais de Radiologia, pois inclui diagnósticos por imagem. O objetivo da área consiste no acompanhamento detalhado do binômio materno-fetal, em busca do diagnóstico e tratamento de anomalias que possam ocorrer no período gestacional.

A Medicina Fetal tem um histórico que remete aos anos 70, quando a prática do rastreamento de síndromes ganhou força em escala mundial. A partir do desenvolvimento dos equipamentos de ultrassonografia, modernização das técnicas e novas fronteiras científicas, a Medicina Fetal cresceu ainda mais. O ultrassom, método não invasivo, tornou-se uma ferramenta imprescindível para o acompanhamento gestacional.

São inúmeras as patologias que podem ser prevenidas e tratadas ainda durante a gestação. As mais comuns incluem: hérnia diafragmática, anemia fetal, obstrução urinária, Síndrome de Transfusão Feto-Fetal (STTF) e  vários tipos de cardiopatias.

No tratamento da hérnia diafragmática, por exemplo, é utilizado um balão traqueal, posicionado de foram semelhante a uma entubação por meio de fetoscopia, que expande o pulmão do feto. Quando ocorre a anemia fetal, uma das opções terapêuticas inclui a transfusão para o bebê por meio de cordocentese guiada por ultrassonograia. Já a STTF, na qual os gêmeos compartilham parte da circulação da mesma placenta, a técnica aplicada pode incluir a laserterapia também guiada por fetoscopia.

Os exames que podem ser utilizados para verificar anomalias no feto durante o período gestacional são: Ultrassonografia 3D / 4D, Ultra-Sonografia Morfológica Do Primeiro Trimestre, Ultrassonografia Morfológica do Segundo Trimestre, Ultrassonografia Transvaginal, Amniocentese, Cordocentese, Amostra Do Vilo Corial, Cardiotocografia, Dopplerfluxometria, Ecocardiografia Fetal, Perfil Biofísico Fetal, Rastreio De Fatores De Risco Para Trabalho De Parto Prematuro.

Já os tratamentos são os seguintes: Terapêutica fetal medicamentosa, Transfusão intra-útero e amnioinfusão. Já a cirurgia fetal pode ser dividida nas seguintes especialidades: Amnioredução, Derivações intra-uterinas, Derivação ventrículo-amniótica,  Derivação tóraco-amniótica e Cirurgia fetal endoscópica.

Fontes:
HELITO, Alfredo Salim; KAUFFMAN, Paulo. Saúde: entendendo as doenças. São Paulo. AMPUP Comercial LTDA.
http://www.medicinafetalonline.com.br/
http://www.febrasgo.org.br/
http://drauziovarella.com.br/saude-da-mulher/medicina-fetal/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Medicina