Plantas Medicinais Brasileiras

Por Fernando Rebouças
A maior biodiversidade do mundo, plantas com potencial de cura e tratamentos fitoterápicos ainda desconhecidos e o risco de perder plantas no processo de desmatamento e patente realizada por estrangeiros. Estas são realidades que colocam em risco a riqueza da flora presente em florestas brasileiras.

Além do estudo e implementação de leis rígidas em biossegurança para que se impeça o registro de espécies brasileiras no exterior, no ano de 2008, foi elaborado o Índice Terapêutico Fitoterápico (ITF), lançado pela Epub. O catálogo apresenta 320 plantas, das mais conhecidas popularmente até as mais famosas em todo o mundo.

Para cada espécie há informações sobre princípio ativo, indicações, contra-indicações, efeitos colaterais, etc. Leia abaixo algumas espécies relacionadas no Índice :

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 80 % da população em todo mundo já utilizou plantas medicinais para tratamento. Porém somente 30 % foi através de indicação médica. Apesar do processo de estudos e sintetização de vegetais ser caro, há no Brasil um investimento em ampliar as pesquisas fitoterápicas e seu estudo em situações de diagnósticos, o fato da maioria das populações no mundo usarem produtos provenientes de plantas medicinais sem consulta médica é justificada pelo fato dos mesmos serem vendidos como produtos naturais e nem sempre como medicação, o que facilita a automedicação.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.