Seroma

O seroma consiste em uma acumulação de líquido no tecido subcutâneo, composto, habitualmente, por plasma sanguíneo e linfa.

Geralmente, este acúmulo anormal de fluído seroso no tecido subcutâneo surge após o indivíduo ser submetido a um procedimento cirúrgico. Fatores que podem levar à formação do seroma incluem:

  • O não uso da cinta compressiva após procedimentos cirúrgicos, especialmente em plásticas no abdômen (abdominaplastia e lipoaspiração) ou cesárea;
  • Predisposição genética.

As manifestações clínicas envolvem:

  • Inchaço local, levando ao abaulamento da cicatriz;
  • Flutuação local;
  • Rubor local;
  • Aumento da temperatura local;
  • Dor.

Quando há a instalação do quadro, o organismo irá produzir uma cápsula fibrosa ao redor do seroma.

O tratamento é feito por meio da drenagem do líquido, em dias alternados, até que o quadro seja resolvido. Antes da remoção do líquido, é necessário anestesiar o local para que o paciente não sinta dor, bem como fazer uso de analgésicos e anti-inflamatórios diariamente.

Como forma de tratamento complementar, é necessário utilizar curativos compressivos na região que foi submetida à cirurgia, além de utilizar uma cinta para exercer uma ligeira compressão local, visando prevenir o acúmulo de mais fluído seroso.

Fontes:
http://www.tuasaude.com/seroma/
http://www.lipoesilicone.com.br/seroma-protese-de-silicone

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Medicina