Stent cardíaco

Por Débora Carvalho Meldau
Stent cardíaco é uma endoprótese expansível, em formato de tubo, normalmente fabricada com metal (especialmente nitinol, aço e ligas de cromo e cobalto), perfurado, que é colocado no interior de uma artéria para prevenir ou evitar a obstrução do fluxo no local por entupimento desses vasos. Existem também os chamados stents farmacológicos, revestidos com fármacos, que são lentamente e gradativamente liberados na artéria.

 

Implante de um stent cardíaco. Ilustração: anemad / Shutterstock.com

Implante de um stent cardíaco. Ilustração: anemad / Shutterstock.com

O stent é muito utilizado em angioplastias, intervenção que objetiva aumentar o fluxo sanguíneo para o tecido muscular do coração. Seu uso auxilia na prevenção de uma nova estenose ou obstrução.

O procedimento de implantação do stent inicia-se com a administração de analgésicos ao paciente e fármacos que diluem o sangue, objetivando prevenir a formação de coágulos de sangue. Em seguida, esta prótese é introduzida em uma artéria na virilha ou no braço, com a ajuda de um cateter balão, que é guiado até o local da obstrução. O balão infla (podendo ficar assim de 20 segundos a 3 minutos), fazendo com que os vasos sanguíneos se expandam, sendo, em seguida, desinflado, deixando o stent cardíaco no local anteriormente obstruído, fazendo com que o fluxo de sangue retorne ao normal.

Este procedimento é relativamente simples, sendo que o paciente normalmente recebe alta no dia seguinte. Após o fim do procedimento, o paciente deve permanecer deitado por algumas horas com compressão sobre a artéria femoral para prevenir a formação de hematomas no local onde o cateter foi inserido.

Pacientes com stent cardíaco precisam tomar medicamentos para inibir a ação plaquetária, e consequente formação de coágulos e trombose do stent. Os medicamentos mais utilizados são a aspirina e clopidogrel. Caso o stent utilizado seja o farmacológico, é provável que o paciente receba estes medicamentos por meio dessa prótese por, pelo menos, um ano.

Os pacientes indicados para implantar o stent cardíaco são aqueles que estão tendo um ataque cardíaco, que apresentam fortes dores no peito frequentes ou grave que não responde ao uso de medicações e que apresentam circulação sanguínea severamente diminuída para uma determinada área do músculo cardíaco, devido a uma ou mais artérias estenosadas. No entanto, o paciente necessita apresentar saúde suficiente para passar por este procedimento.

Todos os stents apresentam um risco de formar tecido cicatricial, podendo levar a um novo estreitamento da artéria. Para ajudar a evitar esse problema, os stents farmacológicos são banhados com drogas que evitam o crescimento de tecido cicatricial na artéria. Este tipo de stent pode reduzir a probabilidade de o paciente necessitar realizar novamente este procedimento.

Fontes:
http://www.mdsaude.com/2010/12/cateterismo-cardiaco-angioplastia-stent.html
http://www.copacabanarunners.net/stent.html
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/artigos/2461/cirurgia_nao_cardiaca_e_terapia_antiplaquetaria_apos_stent_coronario.htm
http://artigo.polomercantil.com.br/article_display/article_display.php?article_id=stents_cardiacos_e_sua_colocacao_e_biomarcadores_cardiacos__245950
http://betteronlinehealth.com/doenca-cardiaca/angioplastia-com-colocacao-de-stent-de-ataques-cardiacos-e-angina-instavel
http://pt.wikipedia.org/wiki/Stent
http://mycardiacwebsite.com/Coronary%20Artery%20Disease/how_to_treat_heart_attack.html
http://www.prorunning.com.br/blog/?p=240

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.