Produtos orgânicos

Bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas (FURB, 2006)
MBA em Educação Ambiental (Senac, 2010)

Produtos orgânicos são aqueles em cujo processo de produção não são utilizados agrotóxicos ou fertilizantes químicos, obedecendo aos seguintes critérios:

  • Proteger a fertilidade natural dos solos a longo prazo;
  • Utilizar intervenções mecanizadas cautelosamente;
  • Fornecer nutrientes relativamente insolúveis, que se disponibilizem às plantas pela ação de microorganismos;
  • Buscar autossuficiência em nitrogênio pelo uso de leguminosas, inoculações com bactérias fixadoras de nitrogênio e reciclagem de materiais orgânicos;
  • Controlar pragas, doenças e ervas prioritariamente pela rotação de culturas, inimigos naturais, diversidade genética, adubações orgânicas, uso de variedades resistentes e uso limitado de intervenções térmicas, biológicas e químicas;
  • Buscar modos extensivos de criação animal;
  • Dar atenção especial ao impacto do sistema produtivo sobre o meio ambiente como um todo, protegendo a vida selvagem existente.

O mercado de produtos orgânicos no Brasil tem crescido consideravelmente. De acordo com o Ministério da Agricultura, entre os anos de 2014 e 2015 a quantidade de agricultores que optaram pela produção orgânica aumentou cerca de 51,7%. A expectativa é que em 2016 este mercado alcance R$ 2,5 bilhões e estima-se um crescimento entre 20% e 30% para o próximo ano. Os principais motivos para essa crescente demanda são:

  • Preocupação dos consumidores com sua saúde e com o risco da ingestão de alimentos que contenham resíduos de agrotóxicos;
  • Cuidado com a conservação do meio ambiente;
  • Influência de grupos contrários ao domínio da agricultura moderna por grandes corporações multinacionais;
  • Ferramentas de marketing utilizadas pelas grandes redes de supermercados para promoção dos produtos orgânicos
  • Vantagens econômicas para o produtor, já que os preços dos produtos orgânicos são, em média, 30% superiores ao de produtos convencionais, e seu custo de produção efetivo é menor.

A área de produção orgânica no Brasil abrange 950 mil hectares. Nela, são produzidas hortaliças, cana-de-açúcar, arroz, café, castanha do brasil, cacau, açaí, guaraná, palmito, mel, sucos, ovos e laticínios. A cultura orgânica tem se difundido principalmente entre os pequenos agricultores, conferindo-lhes as seguintes vantagens:

  • Viável em pequenas áreas e permite produção em pequena escala;
  • Favorece a diversificação produtiva no estabelecimento;
  • Exige mais mão-de-obra, gerando empregos;
  • Menor dependência de insumos externos;
  • Eliminação do uso de agrotóxicos;
  • Maior biodiversidade nos solos;
  • Maior valor comercial do produto orgânico em relação ao convencional;
  • Maior vida útil dos produtos no período pós-colheita;
  • Adoção mais fácil para os agricultores que ainda não utilizam as tecnologias da agricultura moderna;

Para conquistar maior credibilidade dos consumidores e dar maior transparência às práticas e aos princípios utilizados na produção orgânica, existe a certificação desses produtos. Nesse procedimento, uma certificadora credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e acreditada pelo INMETRO assegura por escrito que determinado produto, processo ou serviço obedece às normas e práticas da produção orgânica. Os produtos certificados apresentam um selo no rótulo ou na embalagem do produto. O órgão responsável pelo credenciamento, acompanhamento e fiscalização dos organismos de certificação é o Mapa.

Referências:

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. Mercado brasileiro de orgânicos deve movimentar R$ 2,5 bi em 2016. 2015. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2015/09/mercado-brasileiro-de-organicos-deve-movimentar-rs-2-bi-em-2016>.

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. . Número de produtores orgânicos cresce 51,7% em um ano. 2015. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2015/03/numero-de-produtores-organicos-cresce-51porcento-em-um-ano>.

CAMPANHOLA, Clayton; VALARINI, Pedro José. A Agricultura orgânica e seu potencial para o pequeno agricultor. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 18, n. 3, p.69-101, set/dez. 2001

ORGANICSNET. Manual de certificação de produtos orgânicos. Disponível em: <http://www.organicsnet.com.br/certificacao/manual-certificacao/>.

VIGLIO, Eliana Conde Barroso Leite. Produtos orgânicos: uma tendência para o futuro?. Agroanalysis, [s.i.], p.8-11, dez. 1996.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.