Cidade histórica de Tiradentes

Por volta de 1702, os paulistas descobriram ouro nas encostas da Serra de São José, e lá se formou um arraial que foi batizado de Santo Antônio do Rio das Mortes. Mais tarde, passou a ser chamado de Arraial Velho, pois criou-se o Arraial Novo do Rio das Mortes, atualmente chamado de São João del Rei. No ano de 1718 o arraial foi elevado à vila, e chamado de Vila de São José, em homenagem ao príncipe D. José, Futuro rei de Portugal, a qual passaria a categoria de cidade no ano de 1860. A localidade foi explorada durante o século XVIII por conta do ouro que lá era encontrado, sendo assim um dos grandes centros produtores de Minas Gerais.

No século XIX os republicanos redescobrem a cidade, que fora palco da inconfidência mineira e do seu “herói”, Tiradentes. Em discurso, Silva Jardim sugere que o nome da cidade passe a homenagear um herói, e não um rei português. Em 06 de Dezembro de 1889, com a proclamação da República, a cidade passa a se chamar pelo seu atual nome “Cidade e Município de Tiradentes”. Em 20 de Abril de 1938, a cidade é tombada como patrimônio histórico pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, tendo suas casas, lampiões, igrejas, monumentos e demais partes recuperadas.

A cidade de Tiradentes tornou-se um dos centros históricos da arte barroca do Brasil, ganhando muita importância por ter sido bem preservado, e tornando-se também uma atração turística. Ainda hoje a cidade possui muitos exemplos da arquitetura do século XVIII, como:

  • a Igreja Matriz de Santo Antonio, construída em 1710, sendo a segunda igreja em ouro e uma das mais belas construções barrocas do Brasil. No seu interior, há um órgão de 1788, que é considerado um dos quinze mais importantes do mundo.
  • o Sobrado do Aimorés Futebol Clube, na Rua Direita;
  • o Prédio da Prefeitura com suas sacadas de ferro batido e sótão;
  • a casa nº 114 da Rua Padre Toledo, com forros pintados, representado os cinco sentidos;
  • a casa do Largo do Ó nº 1 com forros pintados e três casas com antigas janelas de rótula, na Rua direita.
  • Câmara Municipal, localizada próxima à Matriz, construída em meados do século XVIII, onde eram abrigada a administração pública no período colonial e imperial, hoje chamada de Câmara Municipal de Tiradentes;
  • Antiga Cadeia Pública, construída em 1833 e 1845, no local da velha cadeia incendiada, uma construção austera com janelas de cantaria protegida por pesadas grades.
  • Casa da Cultura, construída no século XVIII, onde se encontram os microfilmes de 280.000 documentos do acervo da Arquivo Ultramarino de Portugal e do Brasil Colonia
  • Ponte sobre o Ribeirão Santo Antônio, que possui duas arcadas romanas, construídas em pedra no final do século XVIII.
  • Monumento a Tiradentes, Localizado no Largo das Forras, construído 1892, quando foi celebrado o aniversário da morte do Alferes.
  • A Capela de Nossa Senhora das Mercês, do final do século XVIII, com um único altar multicolorido, pinturas em estilo rococó, cenas alusivas à Virgem Maria e imagem da padroeira.
  • Capela de Nossa Senhora do Rosário, construída em cantaria (pedra), com três altares de talha de meados do século XVIII e os santos negros São Benedito, Santo Antônio de Cartagerona e Santo Elesbão.
  • Casa do Padre Toledo, hoje transformada em museu, construida no final do século XVIII, com esquadrias em cantaria lavradas e sete forros pintados com figuras da mitologia grega. Nesta casa morreu Padre Toledo, um dos cabeças da Inconfidência Mineira.
  • Santuário da Santíssima Trindade, construída em 18 de outubro de 1822.

Dentre muitas outras atrações turísticas e históricas existentes na cidade.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tiradentes_(Minas_Gerais)
http://www.tiradentes.net/historiatiradentes.htm
http://www.cidadeshistoricas.art.br/tiradentes/tir_his_p.php

Arquivado em: Minas Gerais