São João Del Rei

Por Caroline Faria
A ocupação da região do Rio das Mortes se deu por volta de 1700 quando Tomé Portes del-Rei estabelece-se como principal comerciante da região conhecida como “Caminho Velho” (passagem obrigatória na época para os bandeirantes que iam para Vila Rica ou Sabará) e é nomeado Guarda-Mor do Porto Real da Passagem em 1701, dando início ao povoamento daquele lugar e, por isso sendo considerado como o fundador da cidade de São João Del Rei.

A vila que deu origem ao centro da atual cidade foi estabelecida por volta de 1704. O Arraial Novo de Nossa Senhora do Pilar, foi criado no local conhecido como Tejuco, na encosta sul da Serra do Lenheiro, após a descoberta do ouro no ribeirão de São Francisco Xavier por Lourenço da Costa. O paulista responsável pela descoberta logo espalha a notícia e diversas pessoas partem para a região dando início a formação das vilas.

Algum tempo depois o Arraial Novo de Senhora do Pilar passa a se chamar Arraial Novo do Rio das Mortes e a exploração do ouro se expande e atrai cada vez mais gente ao local originando acirradas disputas pelas posses das terras.

A rivalidade entre paulistas e emboabas (nome pelo qual os paulistas chamavam todos que não fossem da Capitania de São Vicente – atual São Paulo que na maioria eram portugueses) dá início à Guerra dos Emboabas em 1707 perdurando até 1709, e incluindo o famoso episódio do “Capão da Traição” quando os paulistas são encurralados e chacinados pelos portugueses.

Em 1714 o arraial é nomeado como vila de São João Del Rei, em homenagem a Dom João V, e alçada à sede da Comarca do rio das Mortes.

São João Del Rei, assim como as outras vilas de todo a Comarca do Rio das Mortes e outras cidades mineradoras, teve grande participação no movimento da Inconfidência Mineira, período durante o qual chegou a ser nomeada sede da capitania de Minas Gerais. O próprio Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, figura entre os sanjoanenses ilustres, dentre os quais encontra-se também o ex-presidente da República, Sr. Tancredo Neves.

São João Del Rei participaria ainda de muitos outros episódios políticos importantes na história de Minas Gerais e do Brasil, tendo participado da Sedição Militar de Ouro Preto em 1833, da Revolução Liberal de 1842, das revoluções de 1930 e 1964 enviando combatentes de seu 11º BI – Batalhão Tiradentes, que combateram e venceram em Montese e Castelnuovo (Itália) durante a II Guerra.

Como a cidade era rota de passagem para muitos bandeirantes, estabelecera-se ali, além da exploração do ouro, outras atividades como o comércio, as atividades manufatureiras e a criação de gado. Este fato fez com que a cidade não sofresse tanto quanto as outras vilas auríferas mineiras o impacto da queda da crise do ouro nos próximos anos.

Em 1880 é implantada a Estrada de Ferro Oeste-Minas que aumenta ainda mais a prosperidade já experimentada pela principal cidade do campo das vertentes.

A tradição musical sanjoanense, marcada pelas orquestras “Lira Sanjoanense” e “Ribeiro Bastos” originadas de grupos musicais criados ainda no século XVIII, e pela extinta “Filarmônica Sanjoanense”, além da “Sociedade de Concertos Sinfônicos”, aliada ao esplendor da arquitetura colonial e cultura da cidade fizeram com que em 2007 ela fosse eleita a Capital Nacional da Cultura, consolidando sua vocação para a preservação e divulgação da expressão artística brasileira.

Fontes
http://www.cidadeshistoricas.art.br
http://www.saojoaodelreisite.com.br