10 erros de português e inglês que os brasileiros mais cometem

27/03/2017 - 14h29 - Por InfoEscola





Por Babbel

Já que 28 de março é o Dia do Revisor, a equipe didática do aplicativo de idiomas Babbel, lá de Berlim, resolveu ajudar os brasileiros a escrever melhor. Para isso, apontou os 10 erros mais comuns cometidos por falantes da língua portuguesa, tanto no próprio idioma quanto em inglês.

Português

1- “Lembrar” ou “lembrar-se”?

O verbo “lembrar” pode ser reflexivo ou não, dependendo do contexto. Quando o verbo apresentar a ideia de “relembrar”, ele exigirá o emprego do pronome pessoal oblíquo átono. Exemplo: “Lembrou-se de mim quando ouviu a música.”

Quando o verbo tiver sentido de “similaridade”, “semelhança”, não exigirá emprego do pronome pessoal oblíquo átono. Exemplo: “Ele lembra bastante aquele ator famoso.”

2 - O emprego de “mesmo”

“Mesmo” nunca deve ser utilizado como pronome pessoal. Exemplos:

  • Errado: O diretor foi afastado da empresa por motivos de saúde. O mesmo deve retornar ao escritório em duas semanas.
  • Certo: O diretor foi afastado da empresa por motivos de saúde. Ele deve retornar ao escritório em duas semanas.

Na verdade, o pronome "mesmo" é demonstrativo. Sua função é retomar uma oração ou reforçar um termo de natureza substantiva. Exemplo: "Ela é generosa e espera dos outros o mesmo”.

3- “Onde” ou “aonde”?

Onde deve ser utilizado somente para substituir palavras que expressam ideia de lugar. Ele é usado com verbos estáticos. Exemplo: “Não sei onde fica Ubatuba”.

Aonde expressa a ideia de destino, movimento. Exemplo: “Aonde você vai?”.

4. Crase e os dias da semana

Se o dia for usado com uma especificação, ou seja, o pronome mais o artigo (de+a), é necessário usar crase. O mais comum, no entanto, é usar os dias das semanas sem artigo definido (e por conseguinte sem crase).

  • Certo: A feira funcionará de segunda à sexta.
  • Errado: A feira funcionará de segunda a sexta.

5 - “Haja” ou “aja”?

“Haja" é a conjugação do verbo "haver", que significa existir. Exemplo: “Haja o que houver, estamos juntos nessa”.

"Aja" vem do verbo "agir". Exemplo: "Aja com cuidado".

6- “Fazem” ou “faz” anos?

O verbo “fazer”, quando exprime tempo, é impessoal. Isso significa que ele não tem sujeito com quem concordar e deve ser empregado no singular.

  • Certo: Faz cinco anos que não o vejo.
  • Errado: Fazem cinco anos que não o vejo.

7- “Houveram” ou “houve” muitos problemas?

“Haver”, no sentido de existir, também é invariável.

  • Certo: Houve muitos problemas quando a conexão caiu.
  • Errado: Houveram muitos problemas quando a conexão caiu.
  • Certo: Havia muitas pessoas na festa.
  • Errado: Haviam muitas pessoas na festa.

8- Você vai assistir “o jogo” ou “ao jogo”?

Assistir, no sentido de presenciar, exige “a”.

  • Certo: Você vai assistir ao jogo hoje à noite?
  • Errado: Você vai assistir o jogo hoje à noite?
  • Certo: Seus pais assistiram à missa no domingo?
  • Errado: Seus pais assistiram a missa no domingo?

9- O emprego de “implicar”

“Implicar” é direto no sentido de acarretar, pressupor.

  • Certo: Atraso implicará punição.
  • Errado: Atraso implicará em punição.
  • Certo: Filho implica responsabilidade.
  • Errado: Filho implica em responsabilidade.

10- Vou sair “esta” ou “essa” noite?

É “este” que designa o tempo no qual se está ou o objeto próximo.

  • Certo: Vou estudar mais este ano.
  • Errado: Vou estudar mais esse ano.
  • Certo: Esta semana está sendo muito difícil.
  • Errado: Essa semana está sendo muito difícil.

Inglês

1 - Falsos Cognatos

Falsos cognatos são palavras que pensamos saber o significado, porque são semelhantes ao português, mas geralmente induzem a erros. Exemplos:

  • Actually não significa “atualmente”, mas “na verdade”. Exemplo: Actually I didn’t mean that (na verdade eu não quis dizer isso).
  • Brave não significa “bravo”, mas “corajoso”.
  • Push não é “puxar”, mas “empurrar”.
  • Pretend não é “pretender”, mas “fingir”.
  • Intend sim significa “pretender”.
  • Parents não é “parentes”, mas “pais”.

2- Out, into, up…. e os verbos frasais

Na língua inglesa, preposições podem ser usadas para formar verbos frasais, que não existem em português. Se você trocar um por outro, o significado também muda.

Look out, por exemplo, significa “ter cuidado”. Já look into quer dizer “verificar”.

Make up é “inventar”, “fazer as pazes”. E make out significa “ficar”, no sentido de namorar.

3- Expressões Idiomáticas

O português brasileiro apresenta inúmeras expressões que não podem ser traduzidas literalmente porque não fazem nenhum sentido para falantes da língua inglesa. Portanto, nunca use frases como essas:

Break the branch (quebrar o galho). Uma expressão em inglês correspondente seria to make do. Exemplo: I didn't have a wardrobe, so I had to make do with boxes (eu não tinha um guarda roupa, então quebrei o galho com caixas).

Stepped on the ball (pisou na bola). Drop the ball seria a expressão correta.

Cockroach blood (sangue de barata). To be meek and mild é a expressão que pode ser usada nesse sentido.

Swallow the frog (engolir sapo). Em vez, use take it to the chin.

Kick the bucket (chutar o balde). Esta expressão existe em inglês, mas significa “bater as botas”, “morrer”. Throw everything up in the air seria a expressão mais correta para esse caso.

4 - People is...

É comum o erro de pensar que people é singular. Isso porque, “povo”, uma das traduções, é singular. Contudo, esse substantivo deve-se ser usado no plural.

  • Certo: People are going to a bar after work (as pessoas vão para um bar depois do trabalho).
  • Errado: People is going to a bar after work.

5 - I have 30 years

“Eu tenho 30 anos” é uma frase perfeitamente correta em português. Porém, em inglês, ninguém “tem” uma idade, as pessoas “são” aqueles anos que viveram. Por isso, é necessário usar verbo “to be” antes da expressão de tempo.

  • Certo: : I am 30 years old (eu tenho 30 anos).
  • Errado: I have 30 years old.
  • Certo: My baby is 6 months old (meu bebê tem 6 meses).
  • Errado: My baby has 6 months old.

6 - Lost x Missed

“To miss” significa “sentir falta” e “to lose” quer dizer “perder”. Contudo, usa-se “to miss” também para quando perde-se algo por não ter chegado a tempo. Exemplo:

  • Certo: I missed the train.
  • Errado: I lost the train.

Em português, usa-se o verbo “perder” para a situação acima. Assim, é comum cometer o erro de fazer a mesma associação em inglês. Um uso correto do verbo “to lose” seria:

  • Certo: I lost my wallet (perdi minha carteira).
  • Errado: I missed my wallet.

7- Make x Do

Ambos os verbos podem ser traduzidos como “fazer”, mas não podem ser usados indiscriminadamente. Nesse caso, é melhor decorar onde usar o quê. Exemplos:

To do To make
Do your best (faça o seu melhor) Make an appointment(marcar uma hora)
Do a course (fazer um curso) Make a change(fazer uma mudança)
Do the dishes(lavar a louça) Make a decision(tomar uma decisão)

8 - Nothing x Anything

Muitos brasileiros usam anything e nothing, que significam “nada”, como sinônimos. Mas isso está errado. Anything deve ser usado em frases negativas e nothing em frases afirmativas. Exemplo: I don't know anything about that (eu não sei nada sobre isso) ou I know nothing.

9- Travel x Trip

Travel é mais comumente usado como verbo. Exemplo: I’m planning to travel to Italy (estou planejando viajar para a Itália).

Trip é usado como substantivo. Exemplo: I’m planning a trip to Italy (eu estou planejando uma viagem para a Itália).

10- Have x There is

Ter (to have) é usado como sinônimo de haver (there is/are) em português, mas o mesmo não acontece em inglês.

  • Certo: There are many people here.
  • Errado: Have many people here.

Arquivado em: Educação