Vanuatu

A República de Vanuatu (Ripablik blong Vanuatu em bislama; Republic of Vanuatu em inglês; République de Vanuatu em francês) é um país independente formado por 82 ilhas, localizado no oeste da Oceania. Sua capital é Porto Vila, localizada na ilha de Éfaté e tem uma área total de 12190 km², equivalente a pouco mais da metade do estado de Alagoas.

A população do país é de cerca de 250 mil habitantes, sendo que 98,5% deste total são de origem ni-vanuatu, o povo nativo do arquipélago, de origem melanésia (um dos três grandes grupos étnicos da Oceania). A maioria professa a religião cristã, de culto presbiteriano e as línguas oficiais são o bislama (língua crioula baseada no inglês), o francês e o inglês. A unidade monetária é o vatu.

Como boa parte dos povos da Oceania, quase nada se sabe sobre a antiga história de Vanuatu até a chegada do primeiro explorador, o português Pedro Fernandes de Queirós. A serviço da Espanha, Queirós lidera uma expedição às ilhas, nomeando-as Terra Austrialis del Espiritu Santo. Em 1774, o capitão James Cook mapeia a região, dando a Vanuatu o nome de Novas Hébridas, o qual persiste até sua independência.

No século XIX, milhares de nativos são raptados e forçados a trabalhar nas plantações de açúcar e algodão em Fiji e em Queensland, Austrália. A prática recebe o nome de "blackbirding", e continua até o início do século XX.

Ao fim dos mil e oitocentos começa a chegada de imigrantes europeus que desejavam colonizar Vanuatu, na sua maioria britânicos e franceses. Para defender os interesses tanto de franceses como de ingleses, é instituida em 1887 uma comissão naval conjunta, encarregada da administração das ilhas.

A comissão naval é substituída em 1906 por uma administração conjunta anglo-francesa, o chamado Condomínio das Novas Hébridas, uma forma inédita de governo, onde cada poder é responsável por seus próprios cidadãos, e os indígenas são submetidos às leis de ambos os países; qualquer outro cidadão escolhia qual regime colonial deveria seguir.

Em 1938 começa a ser notado a emergência do culto à carga chamado John Frum. O culto à carga é um culto religioso resultante do contato de civilizações tribais tradicionais com outras altamente industrializadas. Os povos locais observam os costumes, principalmente de militares, de receberem produtos por meio do transporte aéreo, e atribuem a vinda das cargas a um ato divino. Com isso, tentam imitar vários dos gestos que testemunham, dando origem a cultos como o John Frum, personagem mítico, que supostamente retornará para distribuir bens ao povo. Em 1956, John Frum é reconhecido como uma religião, e continua ser uma dos mais importantes cultos à carga existentes.

A 30 de julho de 1980 as Novas Hébridas conquistam a independência com o nome de Vanuatu.

Bibliografia:
indeterminado. Vanuatu profile (em inglês). Disponível em: http://www.bbc.co.uk/news/world-asia-16426193 . Acesso em: 17 jun. 2012.

Arquivado em: Oceania