Complicações das Infecções Odontogênicas

Por Samara Ferreira
As infecções odontogênicas são bastante comuns no consultório odontológico, podendo variar de infecções bem localizadas e de baixa intensidade a infecções graves que se definem pelos espaços faciais, alcançando áreas afastadas do foco original.

Esse tipo de infecção pode se disseminar envolvendo os espaços primários, secundários, e tomar vias ascendentes ou descendentes causando infecções agressivas, generalizadas e que levam risco eminente ao paciente. (PRADO. 279p.)

Entre as principais complicações destacam-se a Angina de Luwing, que é um tipo de celulite aguda e bastante tóxica que submerge os espaços faciais submandibular, sublingual e o espaço submentoniano. A principal característica desse tipo de complicação é por que implica o envolvimento bilateral de todos estes espaços mencionados acima, sendo que nos casos em que há comprometimento unilateral ou mesmo de apenas alguns destes espaços faciais chamamos de anginóides.

Os sintomas dessa angina são dor cervical, disfagia, apneia, aumento do volume simétrico e eritematoso na região cervical envolvendo os espaços sublingual bilateral (nesse caso o paciente apresentará elevação do assoalho bucal e deslocamento medial da língua, causando dispneia), submentoniano e submandibular, apresentando febre bastante alta.

Esse quadro se desenvolve velozmente e requer diagnóstico e tratamento precoce, devido ao amplo potencial de mortalidade.

O tratamento consiste em manutenção de vias aéreas pérvias (categoria primordial no tratamento), antibioticoterapia parenteral intensiva (se for a de primeira escolha, usa-se a administração empírica de penicilina, mas caso o paciente for alérgico usa-se a clindamicina) e prolongada, hidratação parenteral, erradicação da causa da infecção (extração do dente), descompressão cirúrgica e drenagem se necessário.

Outro tipo de complicação é a mediastinite que possui uma alta potencialidade de mortalidade, proporcionando clinicamente um quadro de dor torácica, febre alta não remissível e dispneia severa. O tratamento envolve principalmente drenagem transcervical e mediastinal, geralmente associada a antibioterapia venosa.

A mediastinite necrosante descendente é uma complicação altamente fatal, que se espalha ao longo do plano cervical profundo em direção ao mediastino, gerando grande celulite, necrose, formação de abscesso, podendo ocorrer septicemia (PRADO. 281p.).

A trombose do seio cavernoso é outro tipo de complicação, onde o seio cavernoso que faz parte de um dos seios da dura-máter que recebem veias do cérebro e da órbita e drenam para veia jugular interna.

Os sintomas iniciais da trombose do seio cavernoso são dor nos olhos, febre alta, calafrios, pulso rápido e sudorese intensa, edema, hemorragia subconjuntival e até mesmo envolvimento dos nervos cranianos que atravessam o seio cavernoso. Com esse quadro de sintomas é importante salientar que esse tipo de complicação é bastante grave e de alta mortalidade.

Contudo, ficou esclarecido que todas as complicações possuem uma evolução bastante rápida e com alto risco de mortalidade.

Referências bibliográficas:
Cortezi W.Infecção odontogênica oral e maxilofacial- Diagnóstico tratamento e antibióticoterapia. Editora Pedro Primeiro, 1995.
Peterson lj,Ellis E et al.Cirurgia oral e maxilofacial contemporânea 3ª ed.Rio de janeiro: Editora Guanabara Koogan,2000.
Prado R, Salim MAA. Cirurgia Bucomaxilofacial: Diagnóstico e Tratamento. 1ª Ed. Rio de Janeiro: MEDSI Editora médica e científica; 2004.279-281p.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.