Fórceps Odontológico

Por Samara Ferreira
Os fórceps dentários ou odontológicos são instrumentos usados na remoção dentária (extração) do osso alveolar. Eles são usados de acordo com a configuração geométrica de cada dente.

Os fórceps são constituídos por Cabo, podendo ser retos ou curvos, possuindo uma área serrilhada, evitando que deslize na mão do operador. Estes cabos são de tamanhos adequados com a finalidade de serem segurados pelo operador de acordo com o dente a ser removido. A articulação é outro componente dos fórceps que atua como um mecanismo para acoplar o cabo com a ponta ativa, e esta é o terceiro constituinte dos fórceps, atuando como uma estrutura de maior variação entre os fórceps, pois é tencionada para acomodar-se á raiz do dente, ou seja, a ponta ativa é projetada para ser adaptada a raiz do dente e não a coroa dentária, pois há risco de sua fratura.

Existem diversos tipos de fórceps, tanto para a maxila como para mandíbula e estes são diferenciados pela numeração e a forma da ponta ativa. Os fórceps para maxila são diretamente acautelados com a palma da mão na parte superior do fórceps, de maneira que a ponta ativa permaneça direcionada para cima e na mandíbula os fórceps são segurados com a palma da mão na parte de cima do fórceps, tal qual a ponta ativa esteja para baixo em direção ao dente.

A extração dos dentes na maxila demanda o uso de instrumentos projetados para dentes unirradiculados (incisivos, caninos e pré- molares superiores) ou trirradiculados.

Os dentes com uma única raiz são removidos com o fórceps nº 150, apresentando-se curvo (ponta ativa) quando observado de lado e reto quando visto de cima. Esses fórceps são usados tanto em incisivos como em pré- molares.

O fórceps de nº 150A é usado em prè- molares superiores e jamais deve ser aproveitada em incisivo devido imprópria adaptação. Os fórceps de nº1 são empregados em incisivos e caninos superiores; Os fórceps usados em molares são os de nº53 direito e esquerdo; o de nº210 é empregado em segundos molares superiores e terceiro molares erupcionados; o fórceps de número 150s é empregado para remover dentes decíduos.

Na mandíbula se usa fórceps que possam ser usados para dentes com uma única raiz como os incisivos, caninos e pré- molares e também é indicado para dentes birradiculares como os molares. Os fórceps sugeridos são os de nº 151,151A indicado para pré- molares inferiores; nº 17 que se expõe com um cabo reto e as pontas apresentam-se ativas obliquamente; o fórceps de nº 222 é indicado para terceiros molares inferiores erupcionados.

A maior variação no desenho dos fórceps para molares inferiores é no nº 23, o denominado chifre de vaca. O de nº 151 é também adaptado para dentes decíduos. O nº151s tem os mesmos desenhos gerais que o nº 151, mas de tamanho reduzido para se adaptar aos dentes decíduos. (PETERSON. pag. 120).

Contudo, os fórceps devem ser utilizados pelo cirurgião de maneira adequada, evitando fraturas no momento da extração dos dentes.

Referências Bibliográficas
PETERSON, Larry J. Cirurgia Oral e Maxilofacial Contemporânea. 4. ed. Rio de Janeiro:Elsevier,2005.pag.117-120
SAILER, H. F.& PAJAROLA, G.F. – Cirurgia Bucal. Ed. Artmed, 1999

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.