Selantes

Por Samara Ferreira
Os materiais usados no selamento de cicatrículas e fissuras na oclusal dos dentes são kits para preparos ultraconservadores KG Sorensen ou ainda similar; pedras-pomes de granulação fina, porta-dique; turbina de alta rotação; contra-ângulo, pinça clinica, lençol de borracha; perfurador de borracha, sonda exploradora nº5; pinça porta grampo e conjunto de selante sem ou com carga.

Os dentes possuem áreas na superfície oclusais repletas de fissuras e cicatrículas. Essas áreas são consideradas vulneráveis á carie, devido sua própria anatomia dentária, apresentando grandes variações na oclusal quanto sua forma, que são sinuosas, estreitas e com invaginações irregulares que dificulta a higienização da região, estando esses locais propensos a proliferação de microrganismos e resíduos alimentares.

A necessidade de proteger e prevenir a superfície oclusal contra a cárie é constante, devido à presença de sulcos e fóssulas que são decorrentes da coalescência dos lóbulos de desenvolvimento e também de fissuras e cicatrículas que são decorrentes da união entre esses lóbulos na área que corresponde a sulcular e a de fóssulas.

A técnica de selamento em cicatrículas e fissuras baseia-se em duas técnicas principais, a invasiva e a não invasiva.

A técnica não invasiva é a tradicional, onde se aplica o selante sobre as áreas de cicatrículas e fissuras sem o preparo mecânico, ou seja, onde na superfície dentária não há lesão de cárie. O procedimento necessita ser realizado primeiramente, selecionando os dentes que não tem suspeita de lesão de cárie. A técnica é a mesma, realizando o isolamento absoluto, profilaxia.

O selante para ter um embricamento mecânico satisfatório com a estrutura do esmalte, o condicionamento acido é considerado o passo mais importante para retenção efetiva do material selador (MONDELLI. pag.66).

A seleção do selante é feita sobre o tipo sem carga, pois ficará disposto sobre as áreas dos sulcos e fóssulas. Existem diversos tipos de selantes como os incolores ou com pigmentos (observado facilmente pelo dentista), foto ou quimicamente ativados.

A técnica invasiva é mais empregada em áreas onde se suspeita de cárie, onde o dente escolhido possui cicatriculas escurecidas. O isolamento e a profilaxia também é utilizada nessa técnica.

Numa região com suspeita de cárie, emprega-se uma ponta diamantada com limite em forma de ponta de lápis, bastante útil para o desgaste do esmalte, favorecendo a penetração do selante. Os materiais utilizados na aplicação do selante são a sonda exploradora e pontas infusoras.

Numa região com suspeita de lesão cariosa, é desnecessário penetrar até a região mais profunda da cicatrícula, pois a lesão cariosa desenvolve geralmente nas paredes laterais das fissuras e não em sua base.

Quando a extensão de penetração se restringir ao esmalte, indica-se o uso de  selante com carga, mas se atingir a porção dentinária, opta-se por uma restauração preventiva com resina composta ou ionômero de vidro.

 Referências Bibliográficas
BUONOCORE,M.G.A Simple method   increasing the adhesion of acrylic filing materiais to enamel surfaces.J Dent Res,1956.v35,p.360.
MONDELLI,J.et al.Dentistica Operatoria.4.ed.Sao Paulo; Savier,1990.pag 66.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.