Tipos de sutura e cicatrização após cirurgia a retalho

Por Samara Ferreira
Existem diversos tipos de suturas atualmente, e estas serão analisadas e avaliadas individualmente.

Os tipos de suturas são classificados como:

  1. Sutura compressiva horizontal.
  2. Sutura suspensória independente continua.
  3. Sutura de ancoragem
  4. Sutura de ancoragem fechada
  5. Sutura periosteal

A sutura compressiva horizontal é a mais empregada para as áreas interproximais de diastemas ou para espaços interdentais extensos, para adaptar apropriadamente a papila interproximal contra o osso. Nesse tipo de sutura a penetração da agulha é alcançada de uma forma que as bordas mesial e distal da papila fiquem constantemente comprimidas contra o osso.

A sutura suspensória independente continua, é utilizada quando há os retalhos vestibular e lingual abrangendo muitos dentes, e iniciada na papila vestibular próximo á linha mediana. Esse tipo de sutura é enlaçada para cada papila na superfície vestibular. Quando o último dente é alcançado, a sutura é ancorada em sua volta para prevenir qualquer tração das suturas vestibulares se o retalho lingual for suturado em volta dos dentes de maneira similar.

A sutura suspensória independente continua é notadamente apropriada para o arco maxilar, porque a gengiva palatina é inserida e fibrosa, enquanto o tecido vestibular é mais delicado e móvel.

Na sutura de ancoragem, o fechamento de um retalho mesial ou distal de um dente, assim como nos procedimentos de cunha mesial ou distal, é mais bem realizado pela sutura de ancoragem. Este tipo de sutura fecha os retalhos vestibular e lingual com uma adaptação mais justa contra o dente.

Na sutura de ancoragem fechada, ata-se uma sutura direta que feche o retalho proximal, induzindo um dos fios em volta do dente para ancorar o tecido contra o dente.

Quanto a sutura periosteal, ela é usada para segurar no lugar os retalhos de espessura parcial deslocados apicalmente. Essa sutura pode ser de dois tipos:

  • Sutura retentiva: é uma sutura compressiva horizontal colocada na base do retalho deslocado para segurá-lo na nova posição
  • Sutura de fechamento: é um tipo de sutura usada para segurar as bordas de retalho sobre o periósteo.

A cicatrização após a cirurgia a retalho ocorre da seguinte maneira:

  • Uma semana após a cirurgia, a adesão epitelial á raiz é estabelecida por meio de hemidesmossomas e uma lâmina basal.
  • Duas semanas após a cirurgia, fibras colágenas começam a aparecer paralelamente à superfície do dente.
  • Um mês após a cirurgia, um sulco gengival inteiramente epitelizado com um epitélio juncional bem definido esta presente.

Contudo a perda óssea ocorre nos estágios iniciais da cicatrização tanto no osso radicular como nas áreas do osso interdental.

Referências bibliográficas
CARRANZA Jr., F.A.; NEWMAN M.G.; TAKEI H.H. Periodontia clínica , 9 o ed., Ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004.p 936
GOLDMAN, H.M.; COHEN, D.W. Periodontia. 6a ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 1983. 1062p.
GOLDMAN, H.M.; SHUMAN, A.M.; ISENBERG, G.A. Atlas cirúrgico do tratamento da doença periodontal , Ed. Quintessence, Rio de Janeiro, 1991.
RAMFJORD, S.P.; ASH Jr., M.M. Periodontologia e periodontia: teoria e prática moderna, Ed. Santos, São Paulo, 1991.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.