Gado Gir

Por Débora Carvalho Meldau
A raça Gir é criada no território indiano todo, onde é conhecida pelo mesmo nome. É um animal de boa aparência, dócil, vigoroso, e de boa conformação. No Brasil, esta raça ocupa o segundo lugar entre os animais registrados, e é muito apresentada nas exposições agropecuárias. Apresenta bons resultados em cruzamentos para produção de carne e de leite.

Características raciais

Estes animais possuem porte médio. Sua pelagem apresenta 12 cores reconhecidas: vermelha em todas as suas tonalidades; vermelha chitada; amarelo, em tonalidades típicas da raça, chita amarelo, com dominância da cor branca, com orelhas e cabeça totalmente ou parcialmente pretas; moura escura, com predominância da cor preta, com orelhas e cabeça escuras; moura clara, com predominância da cor branca, com orelhas e cabeça totalmente ou parcialmente pretas; vermelha gargantilha; chitada de vermelho; amarela gargantilha; amarela chitada; chitada clara; rosilha clara (moura de vermelho), predominando a coloração branca, com orelhas e cabeça totalmente ou parcialmente vermelhas.

A cabeça possui largura e comprimento médios, com perfil ultra-convexo; a fronte é larga, lisa e proeminente, com a marrafa bem jogada para trás; chanfro é reto, médio e largo nos machos e nas fêmeas é mais estreito e comprido; os chifres são médios, de coloração escura, grossos na base, saindo para baixo e para trás, na maioria das vezes, dirigindo-se um pouco para cima e encurvando-se para dentro, com as pontas convergentes; os olhos são pretos ou de coloração escura, elípticos, localizados lateralmente e protegidos por rugas da pele; as orelhas são longas, finas e pendentes; espelho nasal é preto e largo, com narinas dilatadas e afastadas.

O corpo é amplo e comprido; nos machos o pescoço é de tamanho mediano, musculoso, unindo-se ao tronco de forma harmoniosa, já na fêmea é mais fino e mais comprido; a barbela é média, podendo ir até o umbigo nos machos, e nas fêmeas é mais reduzida e mais macia; possuem peito largo e saliente; a giba é volumosa, implantada sobre a cernelha, semelhante a uma castanha de caju, sendo mais reduzidos nas fêmeas; dorso e lombo são horizontais e largos; o tórax é profundo, com costelas arqueadas e bem separadas; possuem flancos volumosos e profundos; possuem bainha, umbigo e prepúcio relativamente compridos; ancas largas e no mesmo nível do dorso; garupa ligeiramente caída e com musculatura bem desenvolvida; cauda com inserção harmoniosa, de comprimento mediano, com  vassoura preta, de preferência; membros anteriores ligeiramente curtos, afastados e com bons aprumos; cascos de pigmentação escura, médios e bem conformados; os membros posteriores são ligeiramente curtos com grande cobertura muscular, sendo bem aprumadas e afastadas, com os cascos semelhantes aos dos membros anteriores; a bolsa escrotal é desenvolvida; a vulva pigmentada de cor preta ou escura, sendo bem desenvolvida; úbere desenvolvido, com pele macia e firmemente inserido.

Aptidões

Esta raça foi introduzida no Brasil com o objetivo de produção de carne. Mas nos dias de hoje, graças à seleção realizada por criadores e pesquisadores, esta é uma raça de dupla aptidão. Sendo assim, existem rebanhos selecionados, exclusivamente, para corte e para leite, e também rebanhos mestiços, conseqüência do cruzamento desta raça com animais europeus, seja para carne ou leite.

Características indesejáveis da raça

  • Cabeça muito pesada e assimétrica;
  • Prognatismo;
  • Chanfro com depressão convexa ou com desvios;
  • Chifres extremamente grossos, móveis, retos ou que se dirigem para baixo, ou então, despigmentado;
  • Orelha dupla;
  • Lábio leporino;
  • Barbela muito grande;
  • Giba redonda e dirigida para o lado;
  • Tórax pouco profundo;
  • Costelas curtas e pouco arqueadas;
  • Ventre pouco desenvolvido;
  • Ancas estreitas;
  • Garupas estreitas ou caídas;
  • Inserção muito alta de cauda e vassoura banca em animais com pelagem predominantemente avermelhada ou amarela;
  • Defeitos de aprumos;
  • Cascos despigmentados ou vermelhos, rajado de branco ou vermelho;
  • Prepúcio relaxado;
  • Monorquidismo ou criptorquidismo
  • Atrofia de vulva;
  • Úbere e tetas pendulosos.

Fontes:
http://www.girleiteiro.org.br/
http://www.cnpc.org.br/news1.php?ID=594
http://www.abcz.org.br/site/tecnica/racas/gir.php
http://www.argen.com.br/historiaracas.asp?raca=14
http://www.nucleoestudo.ufla.br/nepec/racas/gir.htm