Gado Guzerá

Por Débora Carvalho Meldau
A raça Guzerá, como é conhecida no Brasil, na índia corresponde ao Kankreg. É um gado zebu dos mais antigos, destacando-se na Índia, como um dos mais numerosos rebanhos.

Característica raciais

Ao nascer, apresentam baixo peso, com média de 30 kg os machos e 28 kg as fêmeas; não apresentam problema de distocia durante o parto e possuem uma boa habilidade materna. Possuem um aspecto geral de um animal vigoroso, bastante ativo, de bom porte, e de bom desenvolvimento, com musculatura compacta e ossos fortes e finos.

Estes são animais de grande porte, com uma pelagem que varia da coloração cinza clara a cinza escura, com tons pardos e/ou tons prateados. A pelagem das regiões da cabeça, pescoço, quartos posteriores e extremidades possuem coloração mais escura, chegando ao negro. A vassoura da cauda, espelho nasal e as pálpebras são pretas. A pelagem da fêmea tende a ser mais clara do que a do macho.

A cabeça deste animal é relativamente curta, larga e expressiva com perfil subcôncavo e retilíneo. A fronte apresenta-se moderadamente larga e quase plana. Os olhos são pretos e elípticos, com órbitas ligeiramente salientes, nos touros protegidas por rugas na pele da pálpebra superior. Os chifres são grandes de coloração escura, saindo horizontalmente para fora e para cima em formato de lira, terminando para dentro e para trás. As orelhas são médias e relativamente largas, pendentes, com as pontas arredondadas, e a pele do seu interior possui uma coloração alaranjada. O espelho nasal é de coloração negra e suas narinas são dilatadas. No ano de 1998, o Conselho Técnico das Raças Zebuínas aprovou a descorna destes animais no Brasil.

Os machos possuem um pescoço curto, grosso e musculoso e implantado harmoniosamente no tronco. Nas fêmeas ele é bastante delicado. A barbela é discretamente desenvolvida, de tamanho mediano, enrugada, terminando no externo.

O corpo é amplo e relativamente comprido. Possuem tronco cilíndrico, profundo, longo e com boa cobertura de músculos. O peito é profundo, largo, bem saliente e com uma boa cobertura muscular e de gordura. A giba (cupim) é de tamanho mediano, bem implantado na cernelha, sendo um pouco inclinado para trás, com formato semelhante a uma castanha de caju; nas fêmeas é pouco desenvolvido. O tórax é compacto e com boa profundidade; as costelas são bem arqueadas, afastadas e bem revestidas; possui flancos profundos. O umbigo, bainha e prepúcio são bem reduzidos. Possuem dorso largo, comprido, reto e horizontal; lombo é reto, horizontal, inserindo-se harmoniosamente na garupa; as ancas são horizontais; a garupa é comprida e levemente inclinada. A cauda é de baixa inserção, descendo até o jarrete, sua vassoura é preta e de volume médio. Os membros anteriores são harmoniosamente ligados ao tórax, com as extremidades moderadamente curtas e finas; os aprumos são bons; os cascos são pretos, de tamanhos médios e de boa conformação. Nos machos, a bolsa escrotal possui tamanho médio; nas fêmeas, o úbere apresenta-se bem desenvolvido, prolongando-se para frente e para trás, com pele macia e pregueada, tetas de tamanho médio e distribuídas uniformemente.

Aptidão

Esta raça pode ser considerada de aptidão mista, tanto para corte quanto para leite. Como gado de corte, apresenta um bom desenvolvimento, alcançando excelentes pesos em competições, sendo assim muito apreciada. Já como gado leiteiro, os criadores de rebanhos leiteiros de elite estão desenvolvendo esforços no sentido de aumentar intensamente os rebanhos. As vacas adultas podem ultrapassar os uma produção de 5000 litros de leite por lactação.

Características indesejáveis da raça

  • Prognatismo;
  • Cabeça longa e estreita;
  • Chanfro comprido e estreito;
  • Perfil convexo;
  • Chifres curtos, claros, que não possuem formato de lira, dirigindo-se para frente;
  • Espelho nasal despigmentado, total ou parcial e com lábio leporino;
  • Cílios brancos;
  • Giba caída para um dos lados, redonda e achatada;
  • Dorso arqueado;
  • Tórax deprimido;
  • Umbigo longo;
  • Garupa excessivamente inclinada e curta;
  • Vassoura da causa com pêlos brancos ou mescados;
  • Defeitos de apumos;
  • Cascos despigmentados;
  • Monorquidismo ou criptorquidismo;
  • Vulva despigmentada e/ou atrofiada;
  • Pelagem totalmente preta ou pintada;
  • Pele despigmentada;
  • Machos com características ou traços femininos, e fêmeas com características ou traços masculinos.

Fontes:
http://www.abcz.org.br/site/tecnica/racas/guz.php
http://www.guzeraeg.com.br/
http://www.guzerajp.com.br/