História do Peru

Existem indícios de presença humana no país que, hoje, conhecemos como Peru, há mais de 15.000 anos, mas a civilização pré-colombiana que merece maior destaque é a Inca. O vasto império Inca, rico em ouro e prata, em 1.500, (estendia-se pelo rio Paraguai e Amazonas, pelo Equador, Bolívia, atual Peru e pelo norte do Chile) iria tornar-se alvo da cobiça dos espanhóis que já estavam sediados na América central.

Em 1.531, o conquistador espanhol Francisco Pizarro desembarcou no Peru com 183 homens e, utilizando a guerra civil que dividia os incas, conseguiu fazer do seu império uma posse espanhola. Assim, em 1.534, fundou, às margens do rio Rímac, a Cidade dos Reis (atual Lima). A independência peruana foi proclamada no dia 28 de julho de 1.821, mas o que de fato independizou o Peru foram as batalhas de Junín (6 de agosto/1.821) e Ayacucho (9 de dezembro/1.821) ambas lideradas por Simón Bolívar.

Entre 1.879 e 1.883, o Peru entrou em guerra com o Chile para disputar a província de Tarapacá, rica em jazidas de nitratos. O Peru foi vencido e, portanto perdeu parte do seu território.

Em 1.924, intelectuais peruanos fundam a aliança popular revolucionária americana (APRA), um movimento de tendência marxista, influenciado pela revolução mexicana. Na década de 30, a APRA foi alvo de sangrenta repressão e as eleições que havia vencido foram anuladas. Nas décadas seguintes intercalaram-se presidentes democráticos e golpes militares.

Durante a década de 80, o Peru passou por uma forte crise social e econômica, caracterizada pelo aumento da dívida externa, descontrole fiscal, grande inflação e luta armada interna. É neste cenário que surgem dois grupos guerrilheiros: o Sendero Luminoso e o Movimento Revolucionário Tupac Amaru (MRTA) que pretendiam estabelecer um novo governo através da guerrilha.

Em 1.990, a inflação daquele país chegou a 7.649%. É neste ano que Alberto Fujimori é eleito do Peru, logo em seguida, fecha o congresso e convocou uma assembléia constituinte para elaborar nova constituição política. Mesmo com algumas melhorias sociais e econômicas Fujimori sai do poder, em 2.000, sem tirar o país da recessão.

Em 2.006, Alan Garcia Pérez torna-se o novo presidente peruano (pela segunda vez, da primeira, entre 1.985 e 1.990, o Peru passou pela pior crise de sua história). Sob seu atual governo, o país passa a exportar bem mais, reduz a inflação, aumenta consideravelmente o PIB.