Rugendas

Por Fernando Rebouças
Rugendas foi um pintor alemão, nasceu em 29 de março de 1802 na cidade de Augsburg. Veio para o Brasil em 1821, na expedição do barão de Langsdorff.

Na expedição viajou como desenhista documentarista. Viaja para Minas Gerais, em 1824, e registra manifestações populares, paisagens e o trabalho dos escravos;um quadro que chama atenção neste momento é uma pintura que descreve a festa de Nossa Senhora do Rosário.

Após abandonar a expedição, viaja pelo interior do Brasil, passa por Mato Grosso, Bahia,Espírito Santo e novamente no Rio de Janeiro. De volta a Europa, publica o livro “Voyage Pittoresque dans de Brésil”, em português “Viagem Pitoresca ao Brasil”, em 1834.

O livro reúne os registros do pintor num país tropical, verde, intenso e onde predomina um povo mestiço e afrodescendente. São experiências num país expressas em desenhos, esboços, aquarelas e gravuras com textos paralelos.

O artista tinha a habilidade de rápido esboços que eram melhor elaborados posteriormente. O artista tinha como recurso a sua experiência de vida, referência visual literária e técnicas artísticas.

Nos anos de 1831 a 1833, vive no México, depois muda-se para o Chile, onde vive doze anos, neste meio tempo visita a Argentina, Peru e Bolívia. Em 1845, volta ao Rio de Janeiro e desenha o retrato de D.Pedro II, da Imperatriz Tereza Cristina e do Príncipe D. Afonso.

Em 1846, retorna à Europa e por motivos financeiros vende a sua coleção de desenhos ao Rei Ludwing I, da Baviera. Hoje, suas obras tem importância documental, sendo uma espécie de "reportagem" visual do Brasil no século XIX.

Leia também: