Ipê-amarelo

Por Fernando Rebouças
O ipê-amarelo é uma árvore originária do Brasil e muito utilizada em projetos de paisagismo. Apresenta-se em “subespécies” com floração amarela (mais conhecida), branca e roxa. Está distribuída em quase todo o território nacional, apesar de sua raridade.

Ipê-Amarelo
Ipê-Amarelo
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Subclasse: Asteridae
Ordem: Lamiales
Família: Bignoniaceae
Gênero: Tabebuia

No inverno, as suas folhas caem dos galhos da árvore que fica inteiramente exposta ao tempo sem nenhuma folha. Na primavera, as folhas renascem cobrindo-a  por completo. Sabe-se que, quanto mais intenso e seco o inverno, posteriormente, na primavera, mais intensa será a quantidade das flores nos galhos.

O ipê-amarelo é da espécie “Tabeluia alba”, o termo “alba” é proveniente de “albus” que significa “branco” em latim, cor presente no processo de renovação das folhas. É natural do semi-árido alagoano, mas conseguiu se adaptar em outros estados do Brasil. O governo do estado do Alagoas, sob Decreto n°6239 , considera a árvore um símbolo do estado.

O ipê-amarelo é uma espécie “heliófita”, ou seja, uma planta adaptada a crescer em ambiente aberto com incidência de luz direta e que perde as folhas em determinada fase do ano.

É encontrada na Floresta Pluvial da Mata Atlântica e da Floresta Latifoliada Semidecídua, facilmente encontrada em sub-bosques de pinhais. Em média, possuem 30 metros de altura, com tronco reto e tortuoso, e fuste de 5 a 8 metros. Seus ramos são grossos, tortuosos e compridos; e uma copa alongada e alargada na base.

As folhas são deciduais, digitadas e compostas. Os pecíolos das folhas medem de 2,5 a 10 cm de comprimento, tendo de 5 a 7 folíolos. Cada flor possui coloração amarelo-ouro e um tamanho médio de 8 x 15 cm.

Os frutos tem uma forma parecida a de uma vagem com grande quantidade de sementes membranáceas esbranquiçadas e aladas. As sementes se dispersam pelo vento. A planta é hermafrodita, tendo a sua frutificação nos meses de setembro, outubro, novembro, dezembro, janeiro e fevereiro. Relativo ao clima, ocorrência em locais de clima tropical, subtropical úmido, subtropical de altitude e temperado. Relativo ao solo, a árvore prefere solos úmidos não muito ondulados.

Fontes:
http://www.ipef.br/identificacao/tabebuia.alba.asp
http://www.jardimdeflores.com.br/floresefolhas/A21ipeamarelo.htm