Tipos de Raízes

Por Thais Nogueira
As raízes são os órgãos das plantas que possuem a função de fixação do vegetal para que este permaneça no solo e também é responsável pela absorção e condução de água e sais minerais; também podem ter outras funções, como armazenamento de reservas nutritivas e aeração.

partes da raizO desenvolvimento inicial da raiz ocorre quando a semente contém uma plantinha em miniatura, o embrião, que é um esporófito jovem. A raiz radícula (embrionária) contém um eixo caulinar embrionário e uma ou duas folhas embrionárias (cotilédones). Ao germinar a semente, a radícula distende-se por divisões e alongamentos celulares formando uma raiz primária.

A raiz primária na porção apical em crescimento é dividida em 3 zonas:

  • Coifa - pequena capa protetora do ápice meristemático radicular.
  • Zona de alongamento -  região que se localiza imediatamente acima do ápice meristemático.
  • Zona pilífera – região onde terminou o crescimento em distensão da raiz e a epiderme forma os pêlos radiculares.

Existem diversos tipos de raízes e sistemas que são:

Sistema pivotante ou axial – A raiz primária originada da radícula do embrião forma claramente uma única raiz principal; esta raiz penetra verticalmente no solo. Ocorrem nas dicotiledôneas como café, feijão, laranjeira, abacateiro, ipê, etc.

Sistema fasciculadoA raiz primária não tem desenvolvimento acentuado, e várias novas raízes formam-se a partir do eixo caulinar do embrião e crescem rapidamente, tornando impraticável a distinção da raiz primária. Este conjunto de raízes parte de um único ponto, possuindo todas o mesmo comprimento. Essas raízes são encontradas geralmente em plantas como milho, a grama, a cebolinha, etc.

Raizes adventícias – estas raízes não se originam de outra raiz, mas de outro órgão, em geral do caule.

Tipos especiais de sistemas radiculares

Raízes tuberosas – São especializadas em órgãos de reserva. As reservas ainda podem ficar acumuladas na raiz principal (cenoura, beterraba, nabo) ou nas laterais (batata-doce, mandioca).

Raízes aéreas – Não se desenvolvem subterraneamente, são expostas ao ar, conhecidas também como raízes adventícias. Estas podem ser classificadas como:

  • Raízes suporte – oferecem equilíbrio a planta, devido esta mesma crescer em solo pantanoso ou por possuir um base muito pequena em relação a sua altura.
  • Raízes tabulares – é uma variante das raízes de suporte, são ligadas ao caule e são muito semelhantes a uma tábua, geralmente são encontradas em árvores grandes em florestas tropicais úmidas, como por exemplo, figueiras.
  • Raízes escora – Aparecem em certos tipos de figueiras, elas descem em ramos caulinares laterais, alcançando o solo, onde ramificam-se para que absorvam água.
  • Raízes respiratórias – são os tipos que são presentes em muitas plantas subaquáticas: são esponjas porque tem parênquima com grandes espaços de ar, para ter a função de oxigênio para os órgão submersos.
  • Pneumatóforos – Alguns consideram raiz respiratória, ocorrem geralmente em manguezais. Este tipo de raiz cresce verticalmente para que haja a troca gasosa com a atmosfera.

Ilustração: http://thales.cica.es/rd/Recursos/rd99/ed99-0574-02/la_raiz.htm