Doutrina Nazista

Adolf Hitler começou a escrever o livro “Mein Kampf” (Minha Luta), o chamado livro sagrado do Nazismo, na prisão militar de Landsberg. Nele, Hitler expôs as bases da doutrina nazista, descrevendo um conjunto de ideias fanáticas de falsamente científicas.

Dentre as muitas teses da doutrina Nazista podemos destacar algumas:

  • A superioridade da Raça Ariana, defendida por Hitler quando dizia que o povo alemão era descendente de uma raça superior, que ele chama de Arianos, e que, por este motivo, tinha o direito de dominar as raças ditas “inferiores” por ele, tais quais os Judeus, os Eslavos, os Negros, etc.
  • A tese do anti-semitismo, que dizia que os judeus ou semitas eram uma raça inferior à raça Ariana e que seriam capazes de corromper a pureza da raça alemã, sendo assim proibidos os casamentos entre judeus e alemães, e declarando total perseguição e extermínio dos judeus.
  • Uma outra tese defendida por Hitler era a total submissão das pessoas ao Estado, o qual deveria ser soberano e incontestável, e era personificado na pessoa do Führer (=chefe) que, fatalmente, era o próprio Hitler.
  • E uma outra tese também muito divulgada era a do expansionismo, que dizia que o povo alemão deveria conquistar seu espaço “vital”, e isso deveria ser feito através da expansão militar de seu território.

O partido Nazista foi fundado em 1919, já tendo como chefe Adolf Hitler. Neste mesmo ano seria votada a nova Constituição da Alemanha que organizava o país em 23 estados, passando a ter uma constituição democrática. Durante 10 anos a República enfrentou muitas dificuldades financeiras e sociais, sendo assolada pela fome e miséria, pela inflação, pelos conflitos trabalhistas e pelos prejuízos trazidos pela guerra.

Em 1929 a crise econômica no país se agravou, deixando-o frágil e permitindo a ascensão ao poder do Partido Nazista. Tal fato se deu devido à insatisfação do povo com o governo atuante.

O Partido Nazista tinha tropas de choque e empregava métodos violentos contra socialistas, comunistas e judeus, além de perseguir sindicatos e jornais. Os judeus eram acusados de capitalistas, que enfraqueciam a Alemanha.

Hitler se utilizou de tropas de choque para se livrar de adversários políticos, e em 1932 elegeu 230 deputados de seu partido. No ano seguinte faleceria o presidente alemão e Hitler impôs uma ditadura violenta e centralizou todos os estados.

Aqueles que se opunham às suas ordens foram enviados para campos de concentração, os judeus perderam a cidadania e passaram a ser perseguidos e todos eram obrigados a exercer a doutrina nazista.

Esta, por sua vez, baseava-se no Fascimo Italiano, e consistia basicamente na submissão do indivíduo aos interesses do Estado, perdendo as liberdades individuais. Este governo era composto de um partido único, sendo eliminados todos os seus opositores ou quaisquer indivíduos que fossem considerados nocivos à Ordem que havia sido estabelecida pelo governo. Dentre os perseguidos estavam: católicos, comunistas, intelectuais, testemunhas de jeová, democratas, jornalistas, judeus, ciganos, negros, etc. Estes foram perseguidos, escravizados, torturados, presos e mortos, tudo em obediência a um ideal de grandeza implantado no país, que moveu uma nação inteira a fazer tudo de acordo com as ordens de um homem que se auto-proclamou seu líder.

Fontes:
http://hid0141.blogspot.com.br/2012/01/doutrina-nazista.html
http://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/nazismo.htm
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20070504190651AAKstel
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nazismo

Arquivado em: Política