Expurgo

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Expurgo é um termo que remonta à União Soviética da década de 1930. Provém do Grande Expurgo ocorrido na reforma interna do Partido Comunista da União Soviética nos anos de 1936 e 1937, quando militantes da Velha Guarda Bolchevique foram expulsos do partido e também do país. O processo atingiu vários revolucionários pioneiros e militantes ativos que foram condenados ao exílio, ao trabalho forçado, à prisão perpétua ou mesmo à morte. No entanto, esse evento foi apenas disseminador do termo porque processos nos mesmos moldes, porém maiores, já haviam ocorrido antes. Um dos maiores da história aconteceu durante a Revolução Francesa, na fase que chamamos de Terror. Foi o período de governo da facção radical jacobina comandada por Robespierre, quando se fez uso intenso da guilhotina. Nesta época, o grupo que estava no poder matou milhares de pessoas que discordavam da violência estatal. Entre elas estavam nobres, burgueses e cidadãos comuns.

Expurgo, que pode também ser chamado de purga, é, então, o processo de expulsar ou eliminar um problema, que pode ser identificado através de pessoas. Desde a União Soviética, o termo se tornou recorrente e muito utilizado na política. Os partidos políticos, por exemplo, usam o termo para eliminar os membros que fogem aos princípios do grupo ou que contrariam à orientação coletiva. Como aconteceu na França e na União Soviética, as vítimas de expurgo podem ser severamente perseguidas. Rarissimamente um expurgado pode ser readmitido em grupo ou partido. Quando isso acontece, chama-se o processo de reabilitação.

Depois do Grande Expurgo da União Soviética, aconteceram outros significativos no mundo. A revolução de 1949 na China afastou do poder muitos políticos ligados ao Kuomintang. Relativamente no mesmo período, entre 1945 e 1956, houve vários expurgos no Leste Europeu.

No Brasil houve um pequeno processo de expurgo no Partido dos Trabalhadores, em 2003. O termo não foi utilizado na época, mas o partido eliminou seu quadro de membros alguns indivíduos que votavam contra a orientação do partido. Entre os membros que foram eliminados, ganhou maior destaque Heloísa Helena, que, até o momento, já fundou dois novos partidos e foi candidata à presidência do país.

Fontes:
http://www.rep.org.br/pdf/15-9.pdf
http://200.19.105.203/index.php/tempo/article/viewArticle/1794

Arquivado em: Política