Conjunção Coordenativa

É chamada de conjunção coordenativa o tipo de conjunção usada para ligar duas orações ou palavras que têm a mesma função gramatical. Tais orações independentes são chamadas de coordenadas e elas são autônomas, pois não perdem o sentido quando é removida a conjunção.

As conjunções coordenativas recebem diferentes classificações, baseadas nas diferentes relações de sentido que elas dão às orações coordenadas. São elas: aditivas, adversativas, alternativas ou disjuntivas, conclusivas e explicativas.

Exemplos:

1) Aditivas: usadas para ligar orações ou palavras, expressando ideia de adição ou união, tanto num aspecto positivo como negativo:

e / nem / mas também / como também / além de (disso, disto, aquilo) / quanto (depois de tanto) / bem como / não só... mas também / não só...como também / não só...mas ainda

  • Não comi bolo nem torta.
  • Não só fez um gol como também deu passe para outro.
  • Ela pinta e borda.
  • Ele não só fuma, mas também bebe muito.

2) Adversativas: comunicam a ideia de oposição, contraste ou compensação entre dois termos, podendo gerar também um sentido de consequência a algo dito anteriormente:

mas / porém / todavia / entretanto / no entanto / senão / não obstante / contudo

  • Tentamos salvá-lo, porém, não foi possível.
  • Percebe-se seu propósito, mas ele foi totalmente rejeitado.
  • Ela quer ir à festa, todavia não tem roupa adequada.

Observações:

a) e/ antes / agora / quando - são conjunções adversativas quando equivalentes a "mas":

  • Você fala, e nada faz.
  • O bom líder não manda, antes executa.
  • Sou muito bom; agora, bobo não sou.
  • Foram mal na prova, quando poderiam ter ido muito bem.

b) "senão" é conjunção adversativa quando equivale a "mas sim":

  • Conseguimos vencer não por ajuda, senão por mérito.

c) "mas" é empregado sempre no início da oração: as outras conjunções podem vir no início ou no meio:

  • Ninguém respondeu a pergunta, mas os alunos sabiam a resposta.
  • Ninguém respondeu a pergunta; os alunos, porém, sabiam a resposta.

3) Alternativas ou disjuntivas: empregadas para expressar a ideia de alternância ou escolha, indicando fatos que se realizam independentemente:

ou... ou / ou / ora / ora... ora / já... já / quer... quer / seja...seja / talvez...talvez

  • Ora chorava, ora sorria.
  • Ninguém pode ser condenado a tal pena ou executado.
  • Talvez obtenha sucesso, talvez falhe.

4) Conclusivas: utilizadas para expressar uma situação de conclusão ou consequência:

pois (depois do verbo) / logo / portanto / então / por isso / por conseguinte / por isto / assim

  • A educação é importante, por conseguinte, deve-se estudar.
  • Infelizmente estes artigos não estão mais disponíveis em nosso estoque, portanto teremos que cancelar o seu pedido.
  • Eu quero ser aprovado, logo, vou estudar muito.

Observação:

"pois", quando é conjunção conclusiva, vem geralmente após um ou mais termos da oração a que pertence:

  • Você o provocou; não se queixe, pois, de seus ataques.

5) Explicativas: ligam a oração anterior a uma seguinte que a explica ou justifica a ideia nela contida:

que / porque / pois (antes do verbo) / porquanto.

  • Gostei do livro porque era interessante.
  • Ele nada falava, porquanto a conversa não era com ele.

Observação:

Quando conjunção explicativa," pois" vem, geralmente, após um verbo no imperativo posicionado sempre no início da oração a que pertence:

  • Feche a janela, pois está chovendo.

Bibliografia:
Conjunções Coordenativas. Disponível em: < http://www.soportugues.com.br/secoes/morf/morf85.php >. Acesso: 20/05/13.

Arquivado em: Português