Sujeito indeterminado

Por Emerson Santiago
É chamado sujeito indeterminado aquele que, apesar de existir, não pode ser determinado pelo contexto ou pela terminação do verbo. Ele tem como função expressar:

  1. situação na qual é desconhecido o sujeito;
  2. situação na qual não interessa a identificação do sujeito;
  3. situação na qual a identificação do sujeito é irrelevante;
  4. situação onde o sujeito não é identificado, e não pode ser o ouvinte, ou estar relacionado a ele;
  5. situação onde o sujeito não é identificado, mas que denota envolvimento, nosso ou o do ouvinte, com ele;

O sujeito indeterminado pode ser identificado a partir da terceira pessoa do plural dos verbos, pela terceira pessoa do singular dos verbos seguida do pronome ou índice de indeterminação do sujeito “se”, ou ainda, pela terceira pessoa do singular sozinha.

Sujeito indeterminado com verbo na terceira pessoa do plural

Além de estar na terceira pessoa do plural, o verbo não se refere a qualquer termo identificado anteriormente.

Exemplos:

Andam dizendo coisas horríveis a seu respeito.

Jogaram futebol até tarde.

Comeram todo o bolo.

Sujeito indeterminado com verbo na terceira pessoa do singular + se

Ao contrário do tipo anterior, este caso enfatiza a inclusão da primeira e da segunda pessoas do verbo como possibilidade de determinação do sujeito.

Exemplos:

Precisa-se de trabalhadores.

Espera-se para breve a retirada dos militares indonésios do Timor Leste.

Note-se como são diferentes.

Sujeito indeterminado expresso pela terceira pessoa do singular

Esse tipo de sujeito indeterminado difere dos dois anteriores porque não exclui a possibilidade de determinação do sujeito pela primeira e segunda pessoas do verbo. É uma forma neutra, mas nitidamente coloquial.

Exemplos:

Dizem que o dólar vai subir.

Quem mandou votar no homem?

Sujeito indeterminado expresso pela forma do verbo

Vários linguistas consideram o infinitivo impessoal (quando não associado a um sujeito deduzível do contexto) como um tipo de sujeito indeterminado. O infinitivo dos verbos, principalmente quando usado com valor de substantivo, é o tipo mais comum e neutro de sujeito indeterminado.

Exemplos:

Era penoso estudar todo aquele conteúdo.

É triste assistir a estas cenas tão trágicas.

Ser ou não ser; eis a questão! (W. Shakespeare)

Navegar é preciso, viver não é preciso! (F. Pessoa)

O gerúndio, outra forma nominal do verbo, também pode expressar sujeito indeterminado em raras ocasiões. Ele não só expressa sujeito indeterminado, como tem um valor adverbial condicional:

Exemplos:

A realidade deve ser melhor, pensando dessa maneira.

Dormindo não se chega a lugar algum.

Bibliografia:
GARCIA, Afrânio. Tipos de sujeito indeterminado. Disponível em: <http://www.filologia.org.br/pub_outras/sliit01/sliit01_101-108.html >.