Verbo transitivo direto

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

O verbo transitivo direto é um verbo significativo que, como o próprio nome sugere, faz a transição da ideia, por ele expressa, para o seu complemento, de forma direta, isto é, sem a intermediação de uma preposição.

Relembrando o conceito de preposição: palavra que une dois termos, visando ao estabelecimento de diferentes relações entre eles. Sob esse prisma, o significado do primeiro termo é explicado ou completado pelo segundo. São exemplos de preposição de uso recorrente: com, em, sem, para, de, após, como, até, desde...

Aplicando o conceito:

A pousada se localiza em um lugar bem distante do centro da cidade.

Vale elucidar que, no exemplo acima apresentado, há também a preposição “do”, que é formada pela junção (de + o) e a preposição “da”, que é a versão feminina da primeira.

A seguir, serão apresentados diversificados exemplos do referido verbo:

Aquela senhora conhece diferentes tipos de orquídea.

Aquela senhora conhece o quê? Diferentes tipos de orquídea. Quem conhece, conhece alguma coisa ou alguém. Repare que o verbo “conhecer” transmite a sua ideia ao seu complemento, de modo direto, isto é, sem o auxílio da preposição.

Veja, agora, a transitividade verbal direta na construção de um texto:

Era sábado de manhãzinha. Dona Laura, a simpática senhora querida por todos no bairro, levantou-se, arrumou a cama, lavou o rosto, escovou os dentes e os cabelos. Havia tomado a seguinte decisão: prepararia um delicioso bolo de chocolate para a comemoração do aniversário de seu amado esposo, que seria no domingo. Seria surpresa. Ele nem suspeitaria, já que chegaria de viagem somente à noite. Foi ao supermercado e comprou: farinha de trigo, chocolate em pó e granulado, leite, ovos, refrigerante e até balões. Resolveu que prepararia, também, cajuzinho, o doce predileto do esposo. Por isso, comprou: açúcar refinado e amendoim. Preparou o bolo e o doce com muito esmero. Era uma primorosa cozinheira. Escondeu as delícias na casa da vizinha. E, no dia seguinte, foi aquela surpresa para o maridão! [...] (Texto elaborado pela autora deste artigo).

A história, acima contada, apresenta inúmeros verbos indicadores de ações, praticadas pela personagem Dona Laura, algo característico nos gêneros de texto, em que há o predomínio das sequências narrativas. A maior parte dos verbos se encontra no tempo passado, visto que se conta algo que já aconteceu sob o olhar do (a) narrador (a). Além disso, a maior parte deles faz a transição de seu significado, de maneira direta, para os seus complementos, isto é, são transitivos diretos. Primeiramente, eles foram utilizados para enumerar as ações realizadas pela senhora, logo após se levantar: “arrumou”, “lavou”, “escovou”. Posteriormente, para elencar o que foi comprado por ela para preparar as delícias para o marido. Outros exemplos deste tipo de verbo são: “havia tomado”, “prepararia/preparou”, “resolveu” e “escondeu”, também, referindo-se a atitudes de Dona Laura.

Para concluir: o verbo transitivo direto tem por finalidade realizar a transitividade (transferência) de seu significado para o seu complemento, de forma direta (sem o acompanhamento de uma preposição).

Referência:
CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Verbos transitivos. In: ___ Nova gramática do português contemporâneo. 5.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008, p. 150-151.

Arquivado em: Português