Administração de Pesca

A administração de pesca é apenas uma das atividades desenvolvidas pelo profissional formado em Engenharia de Pesca, assim como a aquicultura (criação de peixes, crustáceos e moluscos) e o processamento de pescados (relacionado à produção e industrialização).

Esse tipo de administração envolve a regularização das atividades pesqueiras, incluindo matrícula dos pescadores, registro dos aparelhos, obtenção de autorizações para pesca e navegação, recolhimento de renda proveniente da pesca, coleta de dados sobre a atividade e fiscalização.

O administrador de pesca deverá possuir conhecimentos abrangentes sobre a atividade pesqueira, sobretudo da legislação envolvida (ambiental, trabalhista, e específica da atividade) e as implicações econômicas, sociais, biológicas, legais, políticas e ambientais de sua atividade. Principalmente estas últimas, pois é grande a preocupação das entidades envolvidas com a fiscalização da pesca com a manutenção da oferta de pescados que está acima do limite que pode ser considerado sustentável suscitando em mais um desafio para o profissional dessa área.

Segundo o Sr. Carlos Alexandre Gomes de Alencar, engenheiro de pesca da Seap (Secretaria Especial de Aquicultura, vinculada ao Governo Federal), o mercado para o profissional com formação especializada em administração ou engenharia de pesca ainda é confuso. Existe mercado, mas falta uma conscientização dos empresários envolvidos com a atividade pesqueira da necessidade de se contratar profissionais com formação adequada o que acaba gerando um mercado competitivo ao incluir biólogos, zoólogos e outros profissionais na mesma “peneira”, mas com uma remuneração que fica aquém das expectativas da maioria dos profissionais. (G1). Talvez por isso, o maior campo para este profissional, hoje, se encontre em órgãos públicos e instituições de ensino e pesquisa relacionados à pesca. Mesmo assim o mercado é promissor uma vez que o Brasil é um país que possui alto potencial para a atividade pesqueira, ainda mais com a propagação da aqüicultura. Sem contar o potencial do mercado externo que também é uma boa opção para quem esta se formando nesta área.

O curso de engenharia de pesca dura em média de 5 anos e além das disciplinas normais de engenharia inclui matérias de biologia, zoologia, ecologia, oceanografia, economia, administração pesqueira, microbiologia, controle de qualidade do pescado, topografia, aqüicultura, navegação, piscicultura, carcinicultura, técnicas de pesca, fotogrametria, fotointerpretação, dinâmica de populações pesqueiras, meteorologia, etc.

Fontes
http://www. g1.globo.com/Sites/Especiais/Noticias
http://www.fao.org/docrep/field/003/AB486P/AB486P00.htm#TOC
http://www.estudeonline.net/carreiras_sub.aspx?cod=29