Administrador de empresas

Graduada em Administração de Empresas (UNIFEMM, 2010)
Graduada em Comunicação Social (PUC-MG, 2013)

É possível entender Administrador de empresas de duas formas: como um profissional com Bacharel em Administração ou aquele que administra, governa e/ou dirige um estabelecimento público ou privado, não necessariamente formado na área. Seja como for, tendo o administrador um bacharelado ou não, é necessário que ele apresente certas posturas e comportamentos e que empregue determinados recursos para alcançar objetivos.

É importante salientar que existem vários tipos de administradores para os mais diversos níveis de responsabilidade Administrativa. Assim sendo, as qualidades de um administrador buscado por uma empresa vai depender do nível em que o profissional será alocado.

Ao administrador cabe dirigir as atividades de outras pessoas e assumir a responsabilidade de atingir certos alvos através do somatório de esforços.

Podemos resumir as capacidades básicas necessárias por todos os administradores em três:

Técnica: esta, com certeza, é a capacidade mais conhecida e concreta. Diz respeito ao manuseio de processos e equipamentos. Consiste no conhecimento especializado, aptidão analítica dentro da especialidade requerida e na presteza na utilização dos instrumentos e técnicas de cada matéria. Geralmente, é a capacidade exigida de quase todas as pessoas que se candidatam a uma vaga.

Humana: se a capacidade técnica está relacionada ao uso de instrumentos e processos, a humana, por sua vez, lida com a habilidade do administrador em trabalhar com pessoas. Aqui é analisada a sua desenvoltura em trabalhar eficientemente como integrante de um grupo e de saber fazer com que este realize um esforço conjunto na busca pelos resultados pretendidos. O Administrador precisa não só ser hábil em ouvir e compreender o que os demais têm a dizer, mas também em comunicar de forma compreensível, o que espera dos demais participantes do grupo. Neste caso, a sua postura é determinante e não pode ser apenas ocasional, uma vez que é à partir dela que será criado um ambiente de boa vontade e segurança no qual todos se sintam livres para cooperar e contribuir.

Conceitual: se refere à capacidade do administrador em perceber a organização como um todo composto de partes interdependentes, ou seja, em que mudanças em uma delas afetam todas as demais, quando se faz uma observação interna. Essa percepção também deve ser em relação ao papel da organização na área em que está inserida (seja industrial, comercial, etc.), na comunidade, na esfera política, social e econômica. É possível dizer, dessa forma, que a capacidade conceitual está relacionada com a aplicação das capacidades humana e técnica simultaneamente.

Apesar de essas três capacidades serem necessárias a quaisquer administradores independentemente do nível de responsabilidade em que estejam alocados, a predominância da capacidade podem variar de acordo com o nível.

Bibliografia:

KATZ, Robert L. Skills Of An Effective Administrator. Harvard Business Review. 1974