Administrador

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

A profissão de Administrador foi regulamentada em nove de setembro de 1956 e é considerada relativamente nova. A atividade abrange o planejamento, organização e gerenciamento dos recursos humanos, financeiros e patrimoniais de uma organização.

Através de análises, projetos e relatórios, o Administrador de Empresas traça as melhores estratégias para atingir os objetivos da empresa e acompanhar seu desenvolvimento; maximizando os lucros e reduzindo os custos.

Cabem ao Administrador as decisões que influenciam diretamente na rotina da empresa; como contração de pessoal, salários, ações de marketing, manutenção do patrimônio, entre outras.

Administrador lendo relatório.

Administrador. Foto: Tyler Olson / Shutterstock.com

Para a formação, é necessário cursar a graduação em Administração em instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Pertence à área de Ciências Humanas e engloba uma formação multidisciplinar, com ênfase nas áreas de Recursos Humanos, Marketing, Contabilidade, Logística e Sociologia.

Durante a formação os profissionais adquirem ampla visão organizacional, aprendendo a pensar com responsabilidade social e desenvolvendo um espírito empreendedor.

O curso oferece habilitação em bacharelado e tem duração média de 4 anos. Após a conclusão, é necessário efetuar o registro junto ao Conselho Regional de Administração (CRA) para ser considerado legalmente habilitado para o exercício da profissão.

A atuação do Administrador é ampla, pois sua formação generalista possibilita que se integre aos diferentes setores empresariais; como finanças, marketing, logística, recursos humanos, planejamento, vendas, etc. Suas atividades envolvem participação em seleção e treinamento, planejamento e distribuição de cargos e salários, controle de capital e investimentos, criação de estratégias para alavancar o marketing, monitoria da qualidade dos produtos e serviços, supervisão de pessoas e hierarquias, gerenciamento de recursos patrimoniais, estabelecimento de metas de acordo com a missão da empresa, verificação das exigências legais de funcionamento, manter parceria com fornecedores, etc. Para a execução do conjunto de suas atividades de forma harmônica, a profissão requer uma postura ética, com visão sistêmica, ótima comunicação interpessoal, resiliência, proatividade e capacidade para resolver problemas de forma criativa.

O mercado de trabalho é vasto e os polos industriais e as grandes cidades já não são as únicas opções para conseguir uma boa colocação. Hoje existem organizações dos mais diversos ramos de atuação e portes instalando-se em várias regiões do país.

Assim, é possível executar a função em empresas privadas, órgãos públicos e também no terceiro setor.
Além disso, o Administrador de Empresas pode trabalhar em regime autônomo como consultor e palestrante. E com os incentivos públicos direcionados ao empreendedorismo, dedicar-se à abertura de sua própria empresa não é mais um objetivo inatingível.