Artista Cênico

Por Paula Perin dos Santos
Ter paixão pelo palco, disposição para trabalhar intensamente, dividir-se entre atividades diversificadas, como docência, interpretação e produção e, além disso, correr atrás de projetos próprios são características comuns aos que trabalham nessa área.

“As artes cênicas são as que se desenvolvem num palco ou em qualquer outro lugar de representação para o público”, afirma Valquíria Daher, do Jornal O Globo. Desta forma, o trabalho do artista cênico está além da atuação no cinema ou TV. Ele envolve todas as etapas de produção de um espetáculo, desde a criação até a interpretação do personagem. Assim, o profissional pode trabalhar também com dramaturgia, direção, produção, iluminação, dublagem e cenografia.

O estudante pode atuar na pesquisa, envolvendo-se em projetos de iniciação científica ou em grupos de pesquisa, onde terá suas primeiras experiências. Além disso, existem instituições que investem em montagens e grupos de teatro próprios.

Para quem deseja ser docente no ensino fundamental é necessário ter licenciatura; em universidades, é preciso ter pós-graduação. A fluência numa língua estrangeira é importante, visto que o artista cênico pode atuar em festivais internacionais.

Para ingressar na faculdade, o vestibulando, além de prestar o exame convencional, ele também faz um teste de habilidade específica, onde apresentará uma cena ou improvisará um tema sorteado pela banca examinadora. O curso dura quatro anos e divide-se em disciplinas teóricas e práticas, como Literatura Dramática, Filosofia e História das Artes Cênicas, Técnica Vocal, Expressão Corporal, dentre outras.

O mercado exige um profissional versátil, que seja crítico e ligado com o que acontece em seu país e no exterior. As maiores chances de emprego encontram-se em pequenos grupos teatrais, coordenação de teatros e de oficinas em secretarias culturais (municipais e estaduais), clubes e empresas de recreação. Contudo, a maior procura ainda é para a atuação na TV, cinema e Rádio.

Quanto ao salário, o Sindicato estipula um piso que varia de acordo com a função: para um ator da emissora de TV no Rio o piso é de R$1.170 por mês. Um dublador ganha, por hora, R$50. A média salarial de um contratado para atuar em espetáculos temporários é de R$1.600.

Fontes
DAHER, Valquíria. Guia Megazine de Profissões. Rio de Janeiro, Ediouro, O Globo, 2007, p. 18-9.

Internet
http://www.algosobre.com.br/guia-de-profissoes/artes-cenicas.html
http://www.vestibular.brasilescola.com/guia-de-profissoes/artes-cenicas.htm