Editor

Por Ana Lucia Santana
O editor de textos tem como atribuição ler em primeira mão os textos dos autores prestes a publicar seus manuscritos, decidir se eles são coerentes com o projeto editorial da empresa para a qual ele trabalha, harmonizar as pretensões do escritor e as da editora, tendo em vista as estratégias de marketing traçadas por este empreendimento literário. Este profissional deve manifestar intensa paixão pelos livros, desejo de atuar livremente, sem vínculos empregatícios, em veículos on-line ou off-line.

Atualmente, com o amplo desenvolvimento de novas tecnologias, o editor não lida mais somente com obras literárias, mas é obrigado também a assumir outros papéis, como os de ghost writer, jornalista, crítico, autor de ficção, revisor, bem como o de administrador dos planos referentes à esfera publicitária e a outros campos similares. Além de manusear livros, ele tem hoje como instrumentos de trabalho os CD-ROMs, espaços virtuais ou complexos de registros que permitem a produção de informações. Atualmente este especialista está cada vez mais atuando como free-lancer.

Conforme dados do veículo US News, em pesquisa que investiga as profissões que estão no ápice de seu desenvolvimento, o cargo de editor encontra-se em completa ascensão. Provavelmente porque ele se torna cada vez mais imprescindível para o universo virtual, por prover os websites e outros ambientes específicos do conteúdo necessário.

Este profissional deve escrever muito bem sobre qualquer tema, de forma que ele possa atuar nos mais diversificados meios, desde os espaços abertos pelo crescimento da Internet, até empresas não virtuais. O editor tem que estar sempre vigilante, verificando os dados enviados pelos profissionais ou por companhias que desejam promover seus produtos, prevenindo inclusive processos judiciais que podem ser desencadeados pela publicação de determinados textos difamatórios.

O editor coordena e acompanha a jornada de uma obra desde o progresso da concepção inicial até sua disseminação no mercado editorial. As etapas percorridas e as consequentes tarefas a serem cumpridas são relativas, dependem do porte e do estilo de cada editora. Este profissional pode atuar igualmente como supervisor de um veículo editado periodicamente, respondendo então pelo teor desta publicação.

Aqueles que estão determinados a seguir esta carreira devem preencher alguns requisitos, embora não necessariamente todos eles, entre os quais ser graduado em língua e literatura portuguesa; ser formado nos estudos linguísticos, habilitados em inglês, espanhol, ou outra língua significativa.

Mas não há exatamente uma faculdade específica para a capacitação de editores. Porém, quanto maior a cultura geral, a sintonia com questões artísticas e estéticas, o domínio de outras línguas, a versatilidade no campo da informática, nos processos de reprodução de textos, na área tipográfica, tanto melhor para o candidato a seguir esta profissão. Os especialistas que demonstrarem maior tendência ao perfeccionismo, à análise meticulosa do material de que se encontram encarregados, terão maiores possibilidades de crescimento profissional.

Fontes
http://www.finetext.de/brazilian/Editor.php
http://lafloufa.com/2008/01/24/redator-de-conteudo-a-profissao-dos-novos-tempos/