Profissões em Cinema

Por Fernando Rebouças
Dirigir um filme; montar as cenas; ser responsável pelas fotografias; roteirizar uma história; sonorizar; atuar; preparar o elenco; planejar os cenários e locação; entre outras atividades que podem gerar empregos para os profissionais da sétima arte e do entretenimento. Graças às políticas culturais desenvolvidas recentemente no Brasil, o cinema brasileiro cresceu como obra de arte e informação, e gerador de oportunidades.

Atualmente no Brasil, a produção cinematográfica encontrava-se aquecida graças a incentivos fiscais concedidos pelo governo, outras maneiras de abertura de investimentos são percebidas através de co-produções, pois a co-produção potencializa a abertura de novos mercados. Segundo o IBGE, em 2006, cerca de 4,2 milhões de pessoas estavam trabalhando na área cultural, a maioria jovens.

Porém, trabalhar em cinema, como toda profissão, requer muito investimento pessoal e estudo; muitos pensam em somente ingressar como diretor, mas na verdade encontram um leque extenso de profissão que se agregam na produção e lançamentos de um filme, cerca de 54 funções. O produto cinematográfico não está somente atrelado ao longa-metragem, a nova tecnologia digital de filmagem possibilita a criação de curtas e de animação que são divulgadas com muita facilidade na internet, o que é muito bom para quem está iniciando.

Por outro lado, o grande desafio da cinematografia brasileira é a conquista de público. Não adianta ter apoio, investimento, patrocínio e co-produção se não existir um público que “consuma” o cinema nacional. Devemos considerar que 90% do cinema exibido no mundo é norte-americano. Além de conquistar público, o grande desafio do cinema brasileiro é conquistar mais distribuidores e salas de exibição, para que a produção nacional não fique restrita a um circuito menor ou a festivais nacionais e estrangeiros.