Roteirista

Por Ana Lucia Santana
O roteirista cinematográfico ou televisivo normalmente elabora o roteiro a partir do argumento, transformando esta idéia em um texto estruturado com diálogos e cenas, pronto para ser filmado. Este profissional pode desenvolver sua criação a partir de uma narrativa original ou adaptar uma determinada obra.

O especialista em roteiros não é exatamente um produtor de histórias; cabe a ele transcrever as concepções artísticas de outro profissional, por meio de um esquema que permita a filmagem ou a encenação da história em questão. Converter um roteiro em imagens não é tão fácil quanto parece, muitas vezes ele é submetido a inúmeras operações até estar apto para as filmagens, e não raro é necessária a intervenção de vários roteiristas, aproveitados em etapas distintas. A elaboração do roteiro permitirá também ao produtor e ao diretor calcularem e preverem todas as possibilidades quanto ao timing de uma produção e os gastos exigidos para sua concretização.

É impossível criar um guia que estabeleça dogmaticamente como se elabora um roteiro de qualidade. Tudo depende da concepção com a qual o roteirista trabalha e de quanto o produtor dispõe para sua realização. Alguns profissionais dão algumas dicas, como a de unir a teoria à oportunidade de trabalhar com especialistas experientes. Atualmente há uma seleção mais rigorosa dos trabalhos, alguns deles são rejeitados, o que indica o amadurecimento desta carreira, cada vez mais investida de um caráter profissional. Mas muitos roteiristas ainda sonham negociar suas obras com os produtores, deixando assim de ser assalariados para desenvolver as idéias de outros especialistas.

Um bom roteirista deve cultivar muita persistência e serenidade, uma paixão por sua profissão, que exige demais daqueles que escolhem este caminho, oferecendo-lhes várias adversidades, mas também muitas gratificações. Ele também necessita de uma boa dose de originalidade, poder de persuasão, energia, capacidade para escrever, amplo repertório literário, segurança, simpatia pela essência humana, intrepidez, compulsão pela perfeição, visão crítica, percepção estética, entre outras qualidades.

Esta especialização está em fase de crescimento no Brasil, e assim amplia-se a demanda por roteiristas de qualidade, uma vez que é pré-requisito principal ter vocação para escrever, pois o roteiro é um dos elementos principais na construção de uma película cinematográfica. O especialista deve sempre renovar seus conhecimentos e ter paixão pela leitura. Nos EUA, onde o número de roteiristas é bem maior, proliferam diversas organizações profissionais, principalmente em Hollywood, a meca do cinema.

Embora não seja exigido do roteirista um diploma, é preciso que ele se aplique ao conhecimento das técnicas e das linguagens de cada meio no qual ele pode atuar, assim como também é imprescindível a conquista de larga experiência neste campo. Normalmente, no Brasil, os profissionais desta área são graduados em Cinema ou em disciplinas afins, como Jornalismo ou Letras. A aquisição de conhecimento em outras línguas é igualmente recomendável, associada à obtenção de uma cultura geral cada vez mais ampla. Os roteiros devem ser inscritos no Escritório de Direitos Autorais (EDA) da Fundação Biblioteca Nacional, para que o roteirista garanta seus direitos autorais.

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Roteirista
http://www.brasilprofissoes.com.br/verprof.php?codigo=505
http://epoca.globo.com/edic/19990531/cult5.htm