Hematofobia

Hematofobia também designada como hemafobia ou hemofobia, é uma patologia psicológica caracterizada pelo medo exagerado ou  irracional de ver sangue. Esta aversão sentida pelos hematofóbicos é devido ao fato de ao verem o sangue, lembrarem de suas vulnerabilidades a lesões e da eventualidade da morte, por isso tanto pavor. Além disto, o fato de haver sangramento indica que algo está errado com o corpo e isto causa uma série de sensações de pânico e ansiedade nos hematofóbicos, que nem se quer podem ver fotografias e filmes que contenham sangue.

Muitos especialistas acreditam que a hematofobia esta associada com algum evento traumático que o indivíduo passou em algum momento de sua vida, onde teve uma experiência negativa com o sangue, como aqueles que sofreram uma lesão forte ou que tiveram doenças que causaram grande perda de sangue (hemorragia). No entanto, acredita-se também que a hematofobia pode ser desencadeada devido a fatores genéticos.

Os sintomas da hematofobia variam de indivíduo para indivíduo. Algumas pessoas desmaiam ao ver sangue, outras ficam trêmulas, fracas, enjoadas, tontas, a pressão cai, têm dor de cabeça, calafrios, falta de ar, boca seca e transpiração excessiva. Muitos ainda desenvolvem medo a todo tipo de objeto cortante e pontiagudo, como facas e agulhas, pois estão associados com sangramento.

Este distúrbio precisa ser tratado, pois compromete bastante a qualidade de vida do paciente. Muitos deixam de fazer exames médicos (hematológicos e bioquímicos) pelo medo da agulha, recusam a fazer cirurgias quando são necessárias, recusam a ir ao dentista e deixam de fazer atividades consideradas normais e sem risco, como andar de bicicleta e correr, com medo de se machucarem e ficarem expostos ao sangue (casos extremos). Além disto, o fato das pessoas julgarem os hematofóbicos como “frescos” faz com que eles se isolem cada vez mais das pessoas e podem perfeitamente desenvolver a fobia social.

O tratamento da hematofobia baseia-se em terapias psicológicas, que giram em torno da dessensibilização gradual do paciente ao sangue, além de ensinar a eles técnicas de auto-ajuda para saberem lidar melhor com a enfermidade. Estas técnicas incluem relaxamento, controle da respiração e outros métodos eficazes de tratamento. O médico especializado ainda pode indicar alguns medicamentos, como os ansiolíticos (tranquilizantes), para amenizar os sintomas da hematofobia. Estes medicamentos atuam em áreas específicas do cérebro que controlam a ansiedade e o estado de alerta, relaxando os músculos.

Referências Bibliográficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hematofobia
http://www.brasilmedicina.com.br/noticias/_check_printnot.asp?Cod=85&Area=3
http://www.psicosite.com.br/tra/ans/fobias.htm
http://www.orgone.com.br/a_fobias.html

Arquivado em: Psicologia