Terapia Sexual

A terapia sexual, criada na década de 1950, tem por objetivo tratar os problemas psicológicos e/ou orgânicos que interferem na vida sexual de um indivíduo, podendo ser realizada juntamente com outras formas de psicoterapia, além de poder ser feita individualmente ou em casal.

Esta forma de terapia é realizada por um profissional gabaritado para tal, o terapeuta sexual, que pode ser médico ou psicólogo, sendo que aquele pode tratar problemas orgânicos e emocionais, enquanto que este pode tratar somente os problemas de ordem emocional.

Além dos problemas físicos e problemas de saúde que podem interferir na qualidade sexual de uma pessoa, fatores de ordem social e psicológica também podem afetar de forma significativa a vida sexual e incluem:

  • Questões religiosas;
  • Falta de informação;
  • Tabus;
  • Preconceitos;
  • Experiência traumática;
  • Aspectos da personalidade.

As disfunções sexuais são definidas como alterações nas fases das respostas sexuais, compostas por manifestações físicas e psíquicas quando o indivíduo é exposto a um estímulo sexual e ocorre na seguinte sequencia:

  • Desejo: trata-se da fase da resposta sexual, na qual estão presentes fantasias sexuais e estímulos em diferentes esferas (visual, tátil, auditivos, olfativos e gustativos).
  • Excitação: fase na qual há diversas modificações no organismo do indivíduo.
  • Orgasmo: fase na qual há as contrações perigenitais e alterações cardiorrespiratórias, que é o ponto máximo de prazer na relação sexual.
  • Resolução: trata-se da fase de relaxamento.

Fatores que afete qualquer uma dessas fases, ou todas, podem levar a diferentes consequências negativas com relação à vida sexual de indivíduo, que pode varia entre ambos os sexos, devido às particularidades de cada um. Nos homens pode haver perda de desejo sexual, ejaculação precoce, anejaculação, ejaculação retardada, ejaculação retrógrada, disfunção erétil, aversão sexual e parafilias. Já nas mulheres, pode haver também perda de desejo sexual, além de anorgasmia, dispareunia, vaginismo, dor sexual antes do coito, aversão sexual e parafilias.

A terapia individual visa fazer o individuo aprender a se autoconhecer e possibilitar o prazer consigo. Já a terapia em casal, tem por objetivo facilitar a comunicação entre os parceiros, bem como auxiliar no descobrimento de como a relação funciona e qual o seu reflexo na vida sexual do casal.

O terapeuta sexual também pode lançar mão de exercícios sexuais que devem ser realizados em casa, com o intuito de reforçar alguns estímulos sexuais que podem estar esquecidos.

Fontes:
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?749
http://www.lucianesecco.psc.br/sexualidade.html
http://www.minhavida.com.br/fitness/materias/551-terapia-sexual

Arquivado em: Psicologia, Sexualidade