A Divulgação da Química

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Normalmente as pessoas fazem muita confusão em relação ao significado da Química e da função que esta ciência exerce em nossas vidas. Esta confusão se deve, em grande parte, aos meios de comunicação, que tratam o assunto de maneira superficial e muitas vezes contraditória. O cidadão, em sua maioria, não possui ferramentas para a compreensão daquilo que lê ou ouve nos meios midiáticos.

Ao mesmo tempo em que o noticiário anuncia a descoberta de novos remédios que poderão auxiliar no combate e no controle de doenças que há muito tempo assombram a humanidade, em um momento seguinte uma propaganda procura relacionar a qualidade de determinados produtos a slogans característicos do tipo “isento de substâncias químicas.” Mas essa afirmação está fundamentada cientificamente? Será que alguma coisa pode ser isenta de substâncias químicas? Bem, se a química estuda a matéria, e a matéria é tudo aquilo que possui massa, e se o mundo material ao nosso redor é comporto por massa e, portanto, por matéria, é óbvio que esse slogan não poderia ser usado.

Mas não é apenas isso. Não se tem o interesse de instrução, mas de impacto. As mesmas pessoas que se preocupam sinceramente com a ecologia e que lutam para preservar o ambiente contra a chamada “poluição química” usam sapatos de borracha sintética, camisetas estampadas com “tintas químicas”, moram em casas de “concreto químico” e se locomovem utilizando combustíveis obtidos a partir de sínteses e extrações químicas.

Então, por que isso ocorre? Por que tamanha distância entre aquilo que se anuncia e aquilo que de fato existe? Talvez essa desinformação seja interessante para determinados fins, ou talvez nem mesmo se trate de desinformação.

Entretanto, uma vez que a Química está tão presente em nossa vida, não seria importante conhecer seu verdadeiro papel e significado, mesmo que esse conhecimento não seja usado apenas por especialistas? O fato é que nós mesmos somos um produto da química, onde ocorrem inúmeras transformações e sínteses orgânicas a todo instante. E são essas transformações químicas que nos permitem pensar, sentir, sonhar, raciocinar, agir, viver, morrer.  E no nosso dia-a-dia, é hoje muito difícil encontrar algum produto que não passou por algum processo químico antes de chegar até nós. Os produtos de higiene que usamos, nossos utensílios domésticos, nossas roupas, enfim, praticamente tudo que está a nossa volta. Nos cabe, portanto, nos capacitar para o discernimento entre tudo o que ouvimos e o significado real das coisas.

Referências:
SARDELLA, Antônio; MATEUS, Edegar; Curso de Química: química geral, Ed. Ática, São Paulo/SP – 1995.

Arquivado em: Química