A Popularidade Negativa da Química

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Dentre todas as ciências consolidadas, talvez a química seja a mais recente delas. Houve uma época na história humana em que todos os fenômenos naturais eram estudados em conjunto, ou seja, um cientista estudaria desde a constituição do solo, passando pelo interior de um organismo vivo, e abordaria conceitos que chegariam nas estrelas. Com o avanço da ciência e a descoberta de um número cada vez maior de observações, houve a necessidade de as ciências se separarem, para que melhor se pudesse buscar respostas ao que se observa. Assim, surgiu a física (que estuda as leis naturais e do movimento), a biologia (que estuda os seres vivo de todas as espécies), a geologia (que estuda o planeta Terra e a suas características), a química (que estuda a matéria e as suas interações).

Pode-se dizer que a ciência precursora de todas as outras foi a filosofia, surgida na Grécia antiga há aproximadamente 2.500 anos. Até então, um recurso frequentemente utilizado na explicação dos eventos observados era a vontade divina, e raramente alguma coisa era questionada a respeito do que estava envolvido em suas observações.

A química hoje pode ser definida como a ciência que estuda a matéria e a forma pela qual esta matéria interage. Assim, tudo aquilo que está ao nosso redor, e é feito por matéria, é estudado na química. Como exemplo estão os nossos medicamentos, os nossos produtos de higiene e limpeza, a água que consumimos, as partes internas e externas do nosso próprio corpo, os alimentos, industrializados ou não, que consumimos diariamente, os meios de produção, transporte e consumo, entre outros.

A química, entretanto, ainda hoje é vista por muitos apenas por seu lado prejudicial ao homem e à natureza, pois foi dessa forma que ela se desenvolveu a partir do começo do século XX e, de uma certa forma, se tornou popular. Isso ocorreu principalmente no desenvolvimento de armamentos e nas bombas atômicas lançadas sobre o Japão durante a 2ª guerra mundial. Costuma-se então dizer que a química adquiriu um popularidade negativa.

A investigação sistemática que teria firmado as raízes da ciência química ocorreu na Idade Média, pela alquimia. Houve um período da história das ciências, ou do que viria a ser consolidado como ciência, em que o homem possuía apenas dois objetivos: descobrir uma fórmula mágica que serviria para transmutar metais em ouro, o que era chamado de pedra filosofal, e a descoberta de uma poção mágica que daria vida eterna a quem a ingerisse, o que era conhecido como elixir da longa vida.

Esses dois objetivos dos alquimistas não foram alcançados, mas toda a pesquisa envolvida na sua busca mostrou muitos processos envolvidos até hoje na química fina, como a instrumentação de um laboratório, as separações de misturas e a purificação de numerosas substancias.

Fontes:
FELTRE, Ricardo; Fundamentos da Química, vol. Único, Ed. Moderna, São Paulo/SP – 1990.

Arquivado em: Química