Armazenamento de Produtos Químicos

Por André Luis Silva da Silva
Os produtos químicos, devido às suas propriedades, muitas vezes desconhecidas por não especialistas, podem reagir entre si de modo violento, resultando, por exemplo, em uma explosão, ou podendo produzir gases altamente tóxicos ou inflamáveis. Por essa razão, toda e qualquer atividade que necessite de transporte, do armazenamento, da utilização (manuseio) ou do descarte devem ser executados de tal maneira que as substâncias não entrem acidentalmente em contato com outras que lhes são incompatíveis.

O local de armazenagem deve ser preferencialmente fora das bancadas de trabalho do laboratório, com espaço suficiente, contendo prateleiras largas e seguras. O local deve ser bem ventilado e bem iluminado, preferencialmente com exaustão e com duas saídas. São também amplamente recomendáveis instalações elétricas à prova de explosões.

Os produtos químicos devem - e observa-se aqui a imposição, e não a faculdade - ser armazenados por família e em distância mínima de um metro entre as famílias. Os compostos corrosivos, como ácidos inorgânicos, bases e mais potencialmente perigosos devem ser armazenados sempre na parte inferior da bancada (prateleira). O mesmo deve ser feito com os produtos inflamáveis e explosivos, os quais devem manter boa distância dos oxidantes. Os sais podem ser armazenados por família (por exemplo, cloretos, fluoretos, sulfatos, fosfatos, nitratos), o que acaba por facilitar a sua localização. No caso dos fluoretos, deve-se armazená-los em frascos de plástico.

Os compostos de natureza redutora (por exemplo, acéticos e oxálicos), devem estar separados daqueles de natureza oxidante (como nítrico, sulfúrico e perclórico). O ácido perclórico, por sua vez, não deve ser armazenado em prateleiras de madeira conforme os demais. Sendo muitos reagentes fotossensíveis, deve-se evitar incidência de luz diretamente sobre o mesmos, e as prateleiras metálicas devem ser aterradas com um condutor, a fim de se evitar descargas estáticas.

Alguns reagentes líquidos, geralmente solventes, são inflamáveis, requerendo o seu armazenamento a baixar temperaturas, o que deve ser feito em refrigeradores à prova de explosão. É o caso, por exemplo, do éter etílico, apesar de poder ser encontrado sem maiores precauções na maioria dos laboratórios.

Uma perigosa classe de produtos é a dos peroxidáveis, que podem formar peróxidos com a presença de oxigênio, e que são explosivos sob aquecimento, choques mecânicos ou apenas atrito. O grupo peróxido pode ser encontrado no tetrahidrofurano (THF), por exemplo. Tais produtos dever ser acondicionados em frascos pequenos, para consumo em menor tempo, assim como em locais frescos e escuros. No caso de surgirem alterações no produto, deve-se descartá-lo devidamente, e jamais em conjunto com outros produtos químicos.

Referências:
FELTRE, Ricardo; Fundamentos da Química, vol. Único, Ed. Moderna, São Paulo/SP – 1990.