Categorização de Reagentes Químicos e Critérios de Armazenagem

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Na organização dos reagentes químicos em um almoxarifado de laboratório químico convencional, o critério talvez de maior significância a ser considerado seja a categorização destes reagentes. A disposição dos produtos de forma categorizada deve, então, ser ponto de partida do processo, o que irá reduzir as chances de problemas causados pela incompatibilidade entre dois produtos químicos perigosos postos indevidamente em contato.

“Uma substância química, seja simples ou composta, tem diferentes graus de pureza: o grau comercial com 70% a 90% de pureza, dependendo do produto; o grafarmacêutico (95% ou maior); e o grau PA (Para Análise), que chega a 99,9% de pureza. Existem graus de pureza ainda maiores para atender às especificações de análises especiais, como o nanograu e outros”1.

O processo de categorização requer sempre um especialista referente ao que se está categorizando, pois este processo é precedido por uma minuciosa identificação da sua natureza e/ou de suas propriedades. No caso de produtos químicos, alguns grupos devem ser considerados, tais como:

  • Líquidos inflamáveis ou combustíveis e ácidos orgânicos; como o etanol e o ácido acético, por exemplo.
  • Sólido inflamável, como fósforos de segurança e compostos nitrogenados, como o TNT e a pólvora negra.
  • Ácidos minerais; como o ácido férrico, por exemplo.
  • Corrosivos; como o ácido sulfúrico.
  • Oxidantes, como compostos nítricos e perclóricos.
  • Redutores, como os acéticos e oxálicos.
  • Tóxicos; como cianetos, por exemplo.
  • Voláteis; que é o caso do éter e do clorofórmio.
  • Ácido perclórico, o qual deve ser armazenado isoladamente, e não em prateleiras de madeira.
  • Gases comprimidos, cilindros de natureza diversa.

“Além dos contaminantes, pode ocorrer a formação de substâncias novas no ambiente, geradas por reações químicas entre os componentes de uma mistura ao longo do tempo de estoque ou por ocasiões do seu uso, muitas vezes facilitadas por calor e/ou incidência de luz, ou mesmo por degradação de uma substância, resultando em outras duas ou mais substâncias”1. Após os processos de identificação e categorização, sempre subsequentes, deve-se estar atento às condições de infraestrutura do laboratório, devendo ser observados:

  • Sistema de ventilação∕refrigeração, compatível às atividades a serem executadas no laboratório.
  • Sistema de sinalização (indicações), de modo que facilmente sejam localizadas as saídas de cada uma das dependências do laboratório.
  • Disponibilidade de equipamentos de segurança, tanto individuais quanto coletivos, bem como a familiaridade de seu manuseio.
  • Área administrativa separada da área técnica e da armazenagem.

Referências:
1.http://www.univap.br/graduacao/feau/eng_amb/docs/manual_interpretacao_info.pdf
FELTRE, Ricardo; Fundamentos da Química, vol. Único, Ed. Moderna, São Paulo/SP – 1990.

Arquivado em: Química