Indicadores Químicos Naturais

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Indicadores, sintéticos ou naturais, são ácidos ou bases fracas com equilíbrio químico facilmente deslocável, que apresentam a propriedade de mudar de cor em regiões distintas de pH, possuindo uma coloração A em meio ácido e uma coloração B em meio básico. Estas substâncias são utilizadas para indicar a acidez ou basicidade de soluções aquosas.

Há alguns indicadores encontrados na natureza a disposição de experimentações, como é o caso do tornassol, que é extraído de certos liquens. É conhecido pelos cientistas há bastante tempo e pode ser adquirido em lojas de produtos químicos em duas versões: o papel de tornassol azul e o papel de tornassol vermelho. Estes consistem em pequenas tirinhas de papel contendo tornassol, as quais, em contato direto com ácidos avermelham o papel de tornassol azul, e com bases azulam o papel de tornassol vermelho. Tais cores diferem por serem submetidos durante sua fabricação com ácidos e bases.

Em nosso dia-a-dia, encontramos indicadores naturais em várias espécies de produtos. Por exemplo, no repolho roxo, na beterraba, no pinhão, nas pétalas de rosas vermelhas, nas amoras, no chá-mate, na folha de hibisco..., sendo sua extração bastante simples. Por exemplo, a preparação do indicador pela espécie do repolho roxo é conseguida da seguinte forma: inicia-se pela maceração de uma folha de repolho roxo seguida da diluição em água fervente, após côa-se a solução, passando-a para um erlenmeyer ou copo de béquer. Está pronto um indicador natural, que apresenta coloração vermelho em meio ácido e verde-amarelada em meio básico. Já para preparação do indicador da espécie do pinhão, é necessário apenas água em ebulição juntando com alguns pinhões por vinte minutos. Bastam algumas gotas para obter-se resultado instantâneo.

Um importante indicador natural é obtido a partir das folhas de hibisco. O hibisco, ou ninho de Vênus, é uma espécie botânica arbustiva, originária da Ásia e do Havaí, pertence à família das malvas. As substâncias responsáveis pela coloração destes tecidos vegetais são as antocianinas, pigmentos da classe dos flavanóides, encontrados nas flores vermelhas, azuis e púrpuras. Quando as antocianinas estão livres destes açúcares, são conhecidos como antocianidinas. As antocianinas são anfóteros, ou seja, em diferentes pHs esses pigmentos se encontram em diferentes formas e apresentam cores diversas. Em meio ácido encontram-se na cor vermelha, e, com o aumento do pH da solução, passam a ter uma estrutura quinoidal, de coloração púrpura, mudando em meio alcalino para a coloração azul. Esse indicador mostra-se muito eficiente na identificação de ácidos e bases fortes.

Referências:
PERUZZO, Francisco Miraguaia (Tito); CANTO, Eduardo Leite; Química: na abordagem do cotidiano, Ed. Moderna, São Paulo,SP – 2002.
SARDELLA, Antônio; MATEUS, Edegar; Curso de Química: química geral, Ed. Ática, São Paulo/SP – 1995.

Arquivado em: Química