Octanagem

Por Luiz Ricardo dos Santos
A octanagem ou número de octano pode ser definido como a medida da capacidade de pré-ignição ou auto-ignição de um combustível no momento de sua reação com oxigênio, proporcionando a força propulsora suficiente para movimentar motores de combustão.

O combustíveis são classificados de acordo com seu número de octanagem, obtidos através de curvas de analíticas, que são determinadas através de experimentos realizados por espectroscopia na região do infra-vermelho. A octanagem de combustíveis como a gasolina visa medir a detonação da mistura de gasolina+ar, no interior do motor.

Uma gasolina que apresente alto teor de hidrocarbonetos de cadeia grande ou ramificado, certamente ocasionará uma maior detonação na mistura citada, por que no momento em que o pistão do motor volta, antes do ciclo ser completado.  Onde ele é interceptado no meio do caminho pela explosão causada pela mistura gasosa sofrida pela queima incompleta causando o desgaste do motor e possível fusão dos pistões, além de outros sérios problemas que provocam a degradação do veículo em virtude de todo o complexo ser interligado.

A gasolina é formada por uma mistura complexa de hidrocarbonetos, onde a maioria destes são alcanos, que apresentam cadeias que possuem de 4 a 16 átomos de carbono em sua molécula.

A octanagem é determinada de 3 maneiras através de métodos analíticos realizados com motores padrão para observação da detonação ocasionada pelo combustível, sendo eles RON, MON e IAD onde:

  • Método RON: é a sigla inglesa da palavra “Research Octane Number”, que consite em promover uma avaliação da resistência a detonação do combustível com o motor em baixa rotação, porém com carga plena;
  • Método MON:é a sigla da inglesa de “Motor Octane Number”, que é o método contrário ao RON onde, a resistência a detonação do combustível é avaliada a altas rotações do motor em plena carga.
  • Método IAD: é sigla de “Índice Anti-Detonante”, que é simplesmente a média aritmética, entre os métodos RON e MON, para que seja traçada, a octanagem do combustível testado.

Quando os resultados obtidos por este teste apontam que o índice de detonação do combustível é alto provavelmente, se encontram presentes hidrocarbonetos de cadeias grandes , diante destes resultados são feitas as devidas correções para que se garanta a qualidade e evite que o combustível venha causar danos aos veículos. As medidas são a isomerização (processo que fecha anéis, insere duplas ligações ou quebra as cadeias tornando-as menores através de pequenas ramificações), a aromatização (converter um alcano de cadeia longa em um areno através de catalisadores de reação), ou ainda a adição de aditivos como etanol, tolueno e alquilação. As reações abaixo expressam melhor cada uma das medidas adotadas:

Isomerização, aromatização e alquilação do octano um alcano presente na gasolina:

A octanagem de um aditivo, é essencial para que seja evitada a detonação violenta, sedo considerado um combustível com boa octanagem os que apresentam número de octano com mais de 87, na tabela abaixo são dadas a octanagem de alguns combustíveis comuns:

Combustível Número de Octanagem
Octano -19
2,4,4-trimetil-pentano 100
Tolueno 120
Etanol 120
Metitercbutiléter 100
Etiltercbuitiléter 100

Bibliografia:
http://www.themotorreport.com.au/6915/the-real-mccoey-on-ron-research-octane-number
http://chemistry.about.com/cs/howthingswork/a/aa070401a.htm

C. A. X.Marques , L. S.G.Teixeira,L.A.M.Pontes, E..V.S.,.R.B.Guimarães, J.F. Padilhae R.F. Vianna- Avaliação da adição de aditivos do tipo “booster” de octanagem no poder antidetonante da gasolina automotiva brasileira.